O estouro das aleluias.

         E assim para celebrar o final da quaresma antecedendo o domingo de páscoa chega o delicioso sábado de aleluia.

         Hoje com valores e emoções cibernéticas muitos fatos e datas históricas são passadas sem ter muita importância, o que se espera da semana santa é o feriado e no domingo os ovos de páscoa.

         Me lembro que na minha infância a coisa era diferente, na escola estudávamos os ensinamentos da bíblia e tínhamos o maior respeito pela data. Na semana santa todo mundo participava de todas as procissões e sabia tudo, seguíamos passo a passo a trajetória vivida por Jesus Cristo.

        De menino morríamos de medo de pecar nesta semana, pois era o fim, tudo acontecia nesta semana.

       Primeiro era uma semana parada, com bons pensamentos muita meditação, sempre fazendo o bem, o difícil era a criança fazer tudo isso.

       Sempre gostei de procissão, adorava ir com a vela acessa fingindo estar rezando, ficar atrás das mulheres com aqueles cabelões, aí era fatal sem querer chegava avela e via o fogo subir, nesta altura já saía correndo sem deixar ser visto pela vítima, kkk, o cheiro de queimado ia longe.

       A sexta feira da paixão era uma loucura, todo mundo na penitência, ninguém fazia nada, não trabalhava, não varria a casa, não ouvia música, não cantava, não bebia, não comia carne, era não para tudo e quem desobedecesse morria, nosso pensamento era esse.

     Mas aí chegava o sábado de aleluia, era hora da grande explosão, tudo podia e muito.

     O baile de aleluia sempre acabava num verdadeiro carnaval.

     Me lembro muito de preparar a queima do judas, já acordávamos de manhã arrumando o sujeito que ia para fogueira.

      Existiu um ano que fomos para a barragem, na casa dos meus cunhados Nica e Zezé, comecei a arrumar o sujeito cedo.

       Para quem não conhece o trabalho é árduo, montamos um grande boneco de capim seco, cheio de bombinhas, vestido com  calça, blusa, sapato, barba, chapéu e tudo que tem direito. Sempre tem uma pessoa que será homenageada , um político sujo ou coisa parecida.

        Para tal façanha é preparada uma grande fogueira no qual o estrupício será queimado, para abrilhantar a festa é lido o testamento do judas e o que o indecente deixa para cada presente.

         Neste ano fizemos tudo como manda o figurino, amarramos o judas na cerca de arame farpado em frente a varanda da casa, fizemos a fogueira e colocamos além das bombas muitos foguetes amarrados no judas. Na hora certa começamos a festa com a varanda cheia de gente, lemos o testamento e rimos muito ai foi acessa a fogueira.

         Nesta hora aconteceu o que ninguém esperava quando o judas começou a queimar o boneco começou a cair e dobrou para frente cheio de foguetes virando para quem estava assistindo, loucura voou gente para todo lado, e da- lhe foguete, kkk tem gente correndo até hoje.

        E nós continuamos aqui na TOK EMPREENDIMENTOS, Rua Cristal 120 , centro, acreditando sempre em dias melhores.     

                   

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.