O show

           Neste final de semana passado fomos contemplados com um grande show , Skank, foi demais super organizado, um repertório de primeira, encontro com grandes amigos o astral nas alturas, valeu.

          Com este show a muito esperado me fez voltar ao tempo. Quando no início do show, Samuel lembrou dos tempos da Savassinha , aquilo foi como um filme, saudade.

          No nosso tempo de adolescente a coisa mais certa era que sempre teria um grande show, era esperar e curtir.

          A maioria dos shows acontecia no poliesportivo, na época recém inaugurado, era top. Quem não se lembra de 14 Bis, A cor do Som, RPM, Rita Lee, Skank, Milton Nascimento e muitos mais.

         No colégio a gente ficava sabendo, tudo sobre o show, tínhamos carteirinha de estudante e com isso pagávamos a metade, a espera era uma loucura, decorávamos todas as canções e no dia juntávamos uma galera e arrasávamos.

        A entrada era um caso a parte, a rua ficava lotada uma grande fila tomava conta do passeio. Uma vez junto com meus primos Laila e Gilberto, fomos para um show, na entrada naquele estilo empurra, empurra, eis que surge um doido que vendia pé de moleque num balaio, veio chegando perto de mim, que nesta hora havia conseguido colocar as mãos para cima, um alivio, o doido coloca o balaio nas minhas mãos, fiquei travado sem poder abaixar os braços, comecei a xingar o doidão que só falava assim: tô descansando, espera, espera ai que vou ali. Com muito custo desci o balaio e devolvi ao doidão.

        Custamos mas entramos, corremos para pista e ficamos bem em frente do palco, sentamos no chão e ficamos ali curtindo o momento, mas eis que começa o show e a galera levanta de uma vez, uma loucura, todo mundo pulando sem parar e caindo uns nos outros.

         Nesta loucura toda olhei para o lado e vi o Gilberto agachado procurando não sei o que, parei para ajuda-lo ai notei que tinha perdido o sapato, por isso procurava feito doido, o melhor foi quando achou e começou a dar sapatada em todo mundo tentando sair, kkkk quase morremos de tanto rir.

        O melhor era sair do show acabados de tanto dançar e certos de que no próximo, com certeza estaríamos ali.

       E nós continuámos aqui na TOK EMPREENDIMENTOS, Rua Cristal 120 , centro,  lutando por dias melhores.                         

 

 

 

 

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.