Atitudes para um Trânsito mais Humano

Observamos recentemente um fantástico aumento no número de veículos circulando nas vias públicas. No entanto, o sistema viário não aumentou significativamente e não foram tomadas medidas adequadas para assegurar a fluidez do trânsito. Isso tem gerado congestionamentos e, como reflexo, motoristas mais estressados e propensos a praticar pequenas ou grandes imprudências.

Mas as atitudes imprudentes no trânsito, como toda ação humana, não têm o seu motivo exclusivamente em fatores externos, tais como congestionamentos, presença (ou ausência) de passarelas para pedestres etc. Ao contrário, são reflexo do que se passa no interior de cada indivíduo. Bem por isso que a solução de problemas de acidentes começa por melhorar o ser humano por dentro.

Um primeiro ponto a se trabalhar nas pessoas, por um trânsito mais humano, é o respeito às regras. Ainda somos muito amadores nisso. Por exemplo, dispõe o artigo 70 do Código de Trânsito Brasileiro: Os pedestres que estiverem atravessando a via sobre as faixas delimitadas para esse fim terão prioridade de passagem, exceto nos locais com sinalização semafórica, onde deverão ser respeitadas as disposições deste Código.

Isso quer dizer que nas vias onde houver faixa de pedestre e não tiver semáforo os veículos deveriam parar para o pedestre atravessar. Porém, alguém se arriscaria a iniciar a travessia nesses locais em Divinópolis ou mesmo nas grandes cidades do nosso País? Por outro lado, muitos pedestres se arriscam a atravessar as ruas e avenidas, mesmo em locais próximo às faixas, passando em meio aos veículos causando riscos a todos.

57% dos acidentes no Brasil ocorrem por falta de comportamento adequado no trânsito, é o que chamamos de imprudência. O bom comportamento no trânsito, correto e educado, que promove a segurança e a tranquilidade de todos, é resultante da boa educação do grupo e em outros setores da vida diária.

Existem, porém, algumas atitudes, que você pode incorporar ao seu modo de conduzir, que farão com que o trânsito se torne mais humano, seguro e educado. Para tanto, além do conhecimento da legislação de trânsito, você só precisa de bom senso.

• Ao invés de acelerar quando um condutor pede passagem, diminua a velocidade e deixe-o passar. Você não está disputando um lugar no pódio;

• Em vez de trafegar lentamente pela esquerda, dificultando as ultrapassagens, mude de faixa andando pela direita, você também chega lá;

• Em vez de invadir a via preferencial de outro condutor, aguarde um pouco mais. Freadas bruscas não são muito agradáveis;

• Ao invés de buzinar excessivamente no trânsito, mantenha a calma. Você conhece alguém que goste de buzina?

• Em vez de mudar bruscamente de pista, confira antes o retrovisor e use as setas. Você não anda sozinho pelas vias;

• Ao invés de correr na chuva, ignorando o risco da pista molhada, diminua sempre a velocidade. O aumento de acidentes, com o tempo ruim, não é mera coincidência;

• Em vez de "esquecer" o seu carro em fila dupla, atrapalhando os outros, ande um pouco mais. Tem sempre uma vaga livre adiante;

• Ao invés de ficar atrás de um carro, que está indicando que vai virar à esquerda, ultrapasse pela direita. Esta é a única exceção à regra de ultrapassagem; 
• Use o capacete de forma adequada e com a viseira abaixada;

• Ao invés de "furar" o sinal que acabou de ficar vermelho, aproveitando a lógica insensata de que "o pedestre espera", pare o carro na faixa. O respeito ao próximo vem muito antes das leis de trânsito.

Fique Sabendo!

Transitar com o veículo em calçadas, passeios, passarelas, ciclovias, ciclo faixas, ilhas, refúgios, ajardinamentos, canteiros centrais e divisores de pista de rolamento, acostamentos, marcas de canalização, gramados e jardins públicos, resulta em multa fator agravante (3 vezes), sendo considerado infração gravíssima. Art. 193.

 

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.