A ONDA TÁ CERTA

Mesmo sendo fã de Raul Seixas desde o início dos anos 1990, quando comecei a fazer minhas escolhas musicais, não faz mais de uns seis anos que assisti pela primeira vez uma reportagem da Globo com o músico logo após um acidente que ele sofreu numa praia do Rio.

O carro de Raulzito tomou um “tapa” de uma onda, devido à ressaca do mar carioca. Não sei como, mas Glória Maria apareceu com microfone e tudo diante do músico que, por sua vez, estava meio atordoado olhando para seu carro todo amassado. Dizia ele:

 

- Fui atropelado por uma onda, uma coisa inédita na história. Mas a onda tá certa. Esse foi o primeiro vômito, o primeiro anúncio. O errado é esse aterro, esses edifícios, tomara que arrebente tudo. A natureza tá certa.

 

Esse ano completaremos 3 décadas da morte de Raul. E a natureza continua sendo mal tratada pelo homem a ponto de, vez ou outra, reagir como naquele episódio. Semana passada, no Rio, o mar reagiu nervoso. Os anos mais quentes da história da humanidade foram os cinco últimos. 

Embora um número relativamente grande de pessoas não acredite nos efeitos humanos sobre o aquecimento global e as tragédias que dele decorrem, a ciência e os fatos comprovam o contrário. A onda tá certa, minha gente, a onda tá certa.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.