FEMINISMO NÃO É O CONTRÁRIO DE MACHISMO

Enquanto assistia entrevista do jogador Daniel Alves pesquei uma observação importante. A conversa chegou ao tema de questões sociais. Confrontado com um questionamento a respeito da presença das mulheres em posições importantes, o atleta soltou uma assertiva que é senso comum, algo como “sou contra o machismo assim como contra o feminismo”.

O que Daniel pretendia dizer era que, na sua opinião, o gênero não deveria ser considerado para se decidir a escolha de alguém para uma posição qualquer, especialmente de comando. Seja homem ou mulher, deveria ser valorizada a competência e qualidade da pessoa.

Daniel não sabe, mas isso é um princípio feminista.

Pretender que não haja diferenciação entre homens e mulheres na escolha de cargos ou na ocupação de espaços é feminismo.

Aqui temos um erro grave e corriqueiro, a errônea ideia segundo a qual feminismo é o oposto de machismo. Vou tentar esclarecer.

Machismo é a opressão do homem sobre a mulher. Envolve desde preconceito até violência, passando por piadinhas e falta de respeito. Seu motor é a superioridade que os homens acreditam ter sobre as mulheres.

Feminismo é a reação a tal opressão. Ao contrário do machismo, o feminismo não carrega a intenção de posicionar um gênero acima do outro. O feminismo busca equalização e não predomínio. Envolve ações de defesa das mulheres contra a prepotência e arbitrariedade machistas.

O movimento feminista não prevê a supressão dos homens ou o estabelecimento do gênero masculino numa condição inferior. O feminismo reage ao machismo de maneira a garantir os direitos iguais das mulheres. É a defesa da minoria.

É isso, não confunda.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.