O VALOR DA VIDA DELA.

A maluquice atingiu seu nível máximo no Brasil quando o valor da vida das pessoas passou a ser medido também por sua posição política.

Por que diabos a morte da vereadora Marielle Franco se tornou pauta de ataques de alguns grupos? Puxando pela memória, descrevo aqui alguns fatos a confirmar tal afirmação, todos ocorridos a partir da noite em que ela e seu motorista foram fuzilados dentro de um automóvel:

  • O homem que se tornaria governador do Rio de Janeiro não se manifestou sobre o assassinato de uma vereadora da capital do estado;
  • Notícias falsas ligando Marielle ao tráfico de drogas passaram a circular pela internet;
  • O governador do Rio de Janeiro continuou silencioso sobre a morte de um agente público;
  • Rodrigo Amorim, então candidato em campanha a deputado estadual do Rio de Janeiro, destruiu uma placa com o nome de Marielle Franco. Detalhe: o homem que viria a ser eleito governador do Rio de Janeiro estava a seu lado no momento;
  • Jair Bolsonaro, então candidato a presidente da República, afirmou que não comentaria o caso do homicídio de Marielle porque sua opinião “seria polêmica demais”;
  • Depois de eleito, Rodrigo Amorim decorou seu gabinete usando a placa destruída com o nome da vereadora assassinada;
  • Conselheiros do Corínthians fizeram pressão para a retirada de uma camisa em homenagem a Marielle que foi posta em exposição no museu do clube;

Por que tanta gente radical entende que a vida de Marielle não valia nada?

Qual a razão pela qual um bando de fanáticos ignora a barbaridade de um assassinato covarde, sem chances de defesa, cometido por mafiosos?

Como é que pode tanta gente seguir esses pensamentos medievais apenas pelo gosto de atacar aqueles de quem discorda politicamente?

Que horror de sociedade é essa que faz muxoxo diante do sofrimento, da barbárie, da violência, da falta de vergonha e de medo do Estado?

Que tipo de gente elege Rodrigo Amorim, o homem que tripudiou sobre o nome de uma pessoa morta, só porque ela pensava diferente deles?

A sociedade perdeu. Se pensamos assim, somos pequenos, somos menores do que aquilo que supostamente deveria configurar o ser humano.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.