SEU XIITA!

Não é correto, sob o ponto de vista histórico, associar o termo “xiita” ao radicalismo.

Sim, é comum e a gente vê isso daí o tempo todo. O MST seria xiita, o professor que cobra muito também, assim como a galera do GreenPeace.

Usar o vocábulo dessa maneira, porém, detona falta de estudo. No caso, nem seria necessário um curso de teologia, bastando para suprir tal questão que se gastasse dois minutos no moderno Pai dos Burros (Google).

Os seguidores do islã são divididos em diversos grupos, sendo os dois principais sunitas e xiitas, estes últimos minoria. Ambos diferem pouquíssimo entre si.

Basicamente, os sunitas entendem que a morte de Maomé marcou o fim da profecia e o início da responsabilidade dos homens com relação aos ensinamentos do Corão.

Já os xiitas entendem que a inspiração divina continua. Assim, os descendentes do Profeta seriam os responsáveis por dar sequência à condução do mundo islâmico.

Ao longo dos séculos, xiitas e sunitas não se entenderam muito bem. Perseguição mútua é a regra. Logo no início, sunitas atacaram os xiitas. Um dos netos de Maomé foi martirizado.

Atualmente o radicalismo é exceção no mundo islâmico, embora o senso comum brasileiro costume pensar diferente. E não é exclusividade de nenhum grupo. Tem de lá e tem de cá. 

Quer um negócio pra acabar de vez com essa história de chamar radical de xiita? As extra bárbaras assassinas organizações Al-Qaeda e ISIS, responsáveis por quase tudo que a gente conhece de terrorismo atualmente, são .... SUNITAS.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.