VOCÊ É PRECONCEITUOSO E NEM SABE.

Preconceitos são sentimentos tão arraigados que a pessoa exercita sem mesmo perceber. É algo natural, um comportamento automático que resulta do exercício regular ao longo dos anos. Você não pensa, não programa, nem sequer pretende fazer aquilo, mas faz assim mesmo.

Quando estive de férias na Itália comecei a entender esse mecanismo. Em alguns bares e, especialmente, na sala VIP de um aeroporto, percebi claramente o quanto a gente era tratado de maneira diferente dos europeus e norte-americanos brancos, mesmo pagando o mesmo preço.

Minha pele não é tão escura, mas para o padrão europeu branco só é branco se for muito branco mesmo. E somente a esses “puros” é reservado o melhor tratamento.

Não é que eles nos xingassem ou se negassem a nos atender. A diferença estava no olhar, no tom de voz, na negativa de concessão de alguns mimos aos quais os outros tinham direito. A expressão de quase desprezo, mesmo se esforçando pra parecerem isentos.

É isso que a gente, aqui no Brasil, faz com os negros. Se você é branco para os padrões brasileiros, provavelmente se comporta de maneira preconceituosa sem nem mesmo se dar conta. Não desligue agora, tente pensar quantas vezes topou com um negro numa reunião e pensou que se tratasse do motorista de alguém ou do porteiro.

É fundamental que a gente faça um exercício reverso, pois os efeitos da escravidão continuam fortes e vivos. Confessemos que fomos babacas e façamos todo o esforço pra muda isso. 

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.