terça-feira, 3 de Outubro de 2017 08:10h Raquel Helena

Câncer de Mama é preciso falar

Embora possa ser um tema difícil de tratar, falar abertamente sobre o câncer pode ajudar a esclarecer mitos e verdades e, com isso, aumentar a chance de enfrentamento da doença. Por isso, é preciso desfazer crenças sobre o câncer para que a doença deixe de ser vista como uma sentença de morte ou um mal inevitável e incurável. Detectar os sintomas precocemente traz melhores resultados no tratamento e ajuda a reduzir a mortalidade.

A CIRURGIA DE RECONSTRUÇÃO DA MAMA TEM COBERTURA PELO PLANO DE SAÚDE E PELO SUS

 O entendimento do Superior Tribunal de Justiça é no sentido de que a cirurgia reconstrutora é necessária à continuidade do tratamento e indispensável ao pleno restabelecimento da saúde.

Pesquisas do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), apontam que não existe causa única para o surgimento do câncer de mama e que ele é mais comum em mulheres, cuja idade constitui um dos mais importantes fatores de risco, sendo certo que a cada 5 casos, 4 ocorrem em mulheres acima dos 50 anos.

Sabe-se que tanto o SUS quanto os Planos de Saúde, possuem o DEVER legal de custear a cirurgia de extração dos nódulos mamários, bem como os procedimentos quimioterápicos e radioterápicos no pré e pós-operatórios.

Porém, o que pouco se discute é que, não obstante haja o dever legal de custear integralmente a cirurgia e todos os procedimentos inerentes ao tratamento oncológico decorrente do câncer de mama, é comum que o SUS e os Planos de Saúde entendam que não há dever de custear a cirurgia com a prótese ou expansor.

Todavia, a lei dispõe que tanto o Poder Público, quanto as Operadoras de Planos de Assistência privada à Saúde, estão obrigados a realizar a cirurgia reconstrutora da mama, quando tal procedimento se fizer necessário em razão da ocorrência de tumores ou lesões traumáticas na mama da paciente.

A respeito do tema, o STJ firmou entendimento ao julgar no sentido de que a cirurgia reconstrutora de mama é necessária à continuidade do tratamento e indispensável ao pleno restabelecimento da saúde.

Assim, embora seja comum as negativas, o fato é que por quaisquer ângulos que se observa, o direito à cirurgia curativa e reconstrutora, decorrentes do câncer de mama, é previsto no ordenamento jurídico.

 A INFORMAÇÃO PODE SALVAR VIDAS. Por isso devemos estar alertas mulheres e homens a respeito da prevenção e detecção precoce do câncer de mama. Informe-se, tire suas dúvidas e decida o que é melhor com seu médico.

 

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.