segunda-feira, 16 de Outubro de 2017 10:35h Raquel Helena

Cirurgia preventiva para reduzir o risco de câncer de mama por Raquel Helena

Por causa da excessiva ocorrência de câncer de mama e de ovário uma das grandes preocupações médicas tem sido a tentativa de diminuir os casos dessa doença.

O avanço da medicina tem possibilitado inúmeras técnicas de precaução e diagnóstico da doença. Com o diagnóstico precoce, as chances de cura aumentam e, por sua vez, os cuidados com a prevenção resultam na redução do risco de adquirir a doença.

Para as mulheres que têm um risco elevado de câncer, a cirurgia para remoção das mamas ou ovários pode ser uma opção. Em casos especiais, é possível identificar por meio do exame genético BRCA1 e BRCA2 a probabilidade de adquirir um câncer de mama ou de ovário ao longo da vida.

Para descobrir essa mutação genética, é necessário fazer um exame de mapeamento genético, no qual é retirada uma amostra de sangue ou saliva para análise do DNA em laboratório. Os exames genéticos devem ser considerados, principalmente por pacientes onde há uma indicação muito precisa, com forte histórico familiar, como por exemplo as mulheres que tem casos de câncer de mama e de ovário na família.

Se forem constatados nesses exames genéticos a propensão em desenvolver a doença na mama ou no ovário, as cirurgias indicadas são: mastectomia profilática(retirada da mama). A retirada de ambas as mamas antes do diagnóstico de câncer pode reduzir significativamente o risco da doença. Algumas mulheres diagnosticadas com câncer em uma mama optam por ter a outra mama saudável removida para prevenir um segundo câncer de mama. E a outra cirurgia indicada seria a Ooforectomia(retirada do ovário).

A CIRURGIA PREVENTIVA REALIZADA PELA ATRIZ ANGELINA JOLIE.

Com histórico familiar da doença e 87% de chances de desenvolver o câncer de mama, a atriz optou por fazer a retirada preventiva dos seios.

 Em 2013, a atriz americana Angelina Jolie surpreendeu o mundo ao anunciar a decisão de retirar os seios por ter alto risco de desenvolver câncer de mama. Esta prática, chamada dupla mastectomia, reduz o risco de uma mulher ter câncer de mama em aproximadamente 90% ao remover cirurgicamente as mamas mesmo antes do câncer ser encontrado.

Segundo a atriz, a decisão de fazer a mastectomia não é fácil, mas ela está feliz por ter feito suas chances de desenvolver câncer de mama caíram de 87% para menos de 5%.

A RETIRADA DA MAMA DE MANEIRA PREVENTIVA É UM DIREITO DA MULHER.  

A retirada das mamas ANTES do diagnóstico pode reduzir significativamente o risco de câncer de mama. As mulheres com mutação no gene podem reduzir o risco de câncer de mama em 50% ou mais, optando pela retirada cirúrgica dos ovários.

Em caso de resultado positivo da análise genética, abriria então, a possibilidade da realização da cirurgia oncológica preventiva.

Salienta-se que a cirurgia preventiva NÃO é indicada para todas as mulheres e deve somente ser realizada nos casos em que houver expressa indicação.

Se houver indicação da cirurgia preventiva, a mulher adquire o direito de realizar o tratamento sob o custeio integral de seu plano de saúde, vez que, uma das finalidades da prestação privada de serviços à saúde é garantir a prevenção de todas as patologias reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde.

Muitas consumidoras têm se deparado com negativas de autorização do procedimento cirúrgico pelos planos de saúde, que alegam que esta cirurgia não está prevista na lista de procedimentos da Agência Nacional de Saúde.

Vale ressaltar que os Tribunais têm adotado o entendimento de que, mesmo que esse procedimento não esteja previsto no rol da ANS como procedimento obrigatório de autorização pelas operadoras de planos de saúde, o fato não autoriza a recusa de liberação.

Na maioria das vezes os Juízes consideram abusiva, embasado no Código de Defesa do Consumidor, a negativa de cobertura ao tratamento prescrito pelo médico.

Portanto, em caso de prescrição médica, recuse um não pela negativa, pois temos às Leis e a Justiça como aliadas nessa luta pelo direito à saúde.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.