Doidinha de Deus.

Experimente acordar às quatro da manhã e apenas observar o que acontece. Você muda a rotina e parece que o mundo inteiro mudou. Vê coisas que não veria, sente o que não sentiria. Como num filme inesperado, isso aconteceu hoje. Atraída pelos sons, eu chegava à janela e assistia as cenas.

Uma catadora de lixo esperta, que chega primeiro às latinhas, na região nobre dos restaurantes e bares. Com habilidade (sem espalhar o lixo e fazer um desserviço, que não combina com o serviço que ela presta), aperta os sacos com cuidado e firmeza para garimpar seu ouro. Retira o que precisa e deixa tudo como estava.

O entregador de jornal, que aproveita o deserto das ruas e agiliza seu trabalho, subindo com a moto na calçada e colocando as boas e más notícias na porta do assinante. Este se sente bem informado só de passar os olhos no papel, durante o desjejum.  

Daí a pouco começa a “sinfonia de pardais”, andorinhas e outros emplumados que “nos fios tensos da pauta de metal” acordam com alegria os que amam a natureza e irritam os mal-humorados, que já acordam amaldiçoando os bichinhos.

Experimente mudar até isso: seu humor ao acordar, seus pensamentos ao levantar e sua agenda esquizofrênica - que até parece um bom programa, mas está repleta de coisas dispensáveis ou completamente desnecessárias.

Experimente dar bom dia a todos que encontra, mesmo que não os receba de volta. Cantarolar pela rua e deixar que pensem que você saiu de um manicômio. Experimente ser como uma senhora gente boa, que conheci no coral do Santuário de Aparecida, e que se assume uma DDD: Doidinha De Deus.

O que me lembra um trecho espetacular de “Alice no País das Maravilhas”.  Ela pergunta ao Chapeleiro: “Você me acha louca?” Ele responde: “Louca, louquinha... Mas vou te contar um segredo: as melhores pessoas são.”

Experimente, experimente sempre. Antes que o dia a dia te engula e devore seus sonhos.

 

Guiomar é jornalista e locutora do Vozes de Minas: www.vozesdeminas.com.br/guiomarcastro

 

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.