Ter razão ou ser feliz?

À medida que os anos passam, essa máxima faz cada vez mais sentido. Vale a pena discutir com o atendente mal humorado? Reclamar da chuva, do calor, do frio? Perder a paciência na fila ou se ofender com a opinião política de um amigo?

Fazer textão para defender um posicionamento, seja ele qual for, se você não consegue ler daquele que discorda de você? Tentar fazer seu ponto de vista prevalecer, lutando contra a maré ou impondo a todo custo sua ideia... Que sabor tem essa vitória? Que vitória é essa?

Hoje, ao concordar comigo sobre esse assunto, um amigo citou uma frase que eu desconhecia e que me pareceu enigmática: “Quem não escolhe o que perder perde o que não escolheu”. Não descobri o autor, portanto atribuo a esse ator maravilhoso, colega de profissão no Vozes de Minas, Luciano Luppi.

Professor, diretor, cantor, cronista, Luciano é multitalentoso. Atuou em várias novelas e, pesquisando agora sobre ele, descobri que fizemos juntos, sem nos encontrar (esses milagres da tecnologia), um vídeo do Mercado Central de BH, quando ele foi citado entre os dez melhores do mundo, ocupando o terceiro lugar. Luciano falava com sua voz doce o texto principal e eu assinava “Gostoso é viver no mercado”, logo depois de uma risadinha prazerosa dele.

É isso: gostoso é ouvir a voz do Luciano, é passear no mercado, é saborear cheiros e sabores, é curtir amigos, filhos e amores. É admirar a natureza, ler um livro de Rubem Alves, assistir um filme que faça chorar... É viver cada momento como se ele não fosse acabar. Como uma bala de algas (aquelas coloridas, molinhas) que, de tão gostosa, a gente quer que fique ali pra sempre. Ou ter um pote gigante delas.

E a frase enigmática? Ainda estou pensando nela... Doida pra colocar uma vírgula entre o sujeito e o predicado.

Aqui, o vídeo do Mercado: www.youtube.com/watch?v=nMYKyfkDfTU

 

Guiomar é jornalista e locutora do Vozes de Minas: www.vozesdeminas.com.br/guiomarcastro

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.