A vida como ela é:

“Pois bem, qualquer um sabe que para obter prazer em algo é preciso algumas coisas que não são, no caminho, satisfatórias e prazerosas. Só que essa geração atual foi criada sem esse tipo de transição entre o desejo e o fato, entre a vontade e o sucesso, o anseio e a satisfação. Tem menino de 20 anos de idade que nunca arrumou cama, lavou louça. (Mário Sérgio Portella)”.      

O grande aprendizado está aí em sabermos quer teremos que praticar funções ás vezes não tão satisfatórias para nosso ego, mas com o tempo acabamos nos acostumando e de repente até ficamos bons naquilo.

Por isso os limites a nossos filhos é tão importante e necessário, pois fora de casa eles não terão colher de chá de espécie alguma, pelo contrário, o mercado cada vez se apresenta mais competidor e que vença o melhor.

“O jovem com menos de 30 anos tem grandes belezas e capacidades, como senso de urgência, mobilidade, instantaneidade, simultaneidade, velocidade. Mas ele não tem algumas coisas que é necessário trabalhar: paciência, noção de hierarquia e compromisso com resultado e meta. Por uma razão: essa classe média jovem tem um desvio de formação que é confundir desejos com direitos. Isto é, eu quero, portanto você tem que me dar”.(Mário Sérgio Portella).

Nossa vida é marcada pela pressa, não pela velocidade. Esta requer deixar as pessoas em estado de atenção permanente, enquanto a pressa as deixa em estado de tensão permanente, como as empresas vêm fazendo. Há um prazo de validade para isso, porque leva a em esgotamento grande demais. (Mário Sérgio Portella).

        Vivemos num corre-corre louco no nosso dia a dia, pois bem, paremos para pensar: pra que mesmo estou correndo tanto? Atrás de que? Pra alcançar quem? Com qual objetivo?

        A ansiedade em que vive nosso população hoje em dia é tão grande que não se consegue mais viver o presente dos acontecimentos, estamos sempre agarrados no passado ou do contrário preocupadíssimos com o futuro.

        O futuro dependerá do meu planejamento hoje com o meu presente, se não vivo bem o meu presente, provavelmente meu futuro estará comprometido.

        O passado não existe, assim como o futuro também não, o que nos resta viver é somente o presente.

 “A tragédia não é quando um homem morre. A tragédia é o que morre dentro de um homem quando ele está vivo”.

Muitas vezes passamos pela vida num processo vegetativo que chamamos que vivência, vamos vivendo de acordo com o que nos chega, e pelo caminho mais fácil, mas paremos pra pensar no objetivo de nossa passagem por aqui nesse planeta: não será muito mais que isso?

Será que estamos aqui somente a trabalho? Ou será só a passeio? Haverá uma dosagem dessas duas coisas para a realização de um equilíbrio maior?

Consultório avª1º de Junho nº 420, centro, Edifício Paulo VI, sala 802, 8º andar.

Tel: 9 8811 2388

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.