Comunicação não verbal

Marllon Almeida

O corpo fala! Basta prestar atenção e encontraremos nas pessoas pistas valiosas, sobre sua identidade nem tão secreta assim. A postura, as expressões faciais, os movimentos dos olhos, do rosto, das pernas, das mãos; enfim, qualquer gesto, por mínimo que seja, conta a verdade sobre quem somos e o que sentimos e ajuda a traduzir o que as palavras muitas vezes não conseguem expressar.

O corpo também escuta, na medida em que permite que o apresentador possa identificar na platéia a linguagem corporal dos participantes.

Definitivamente, a palavra não é tudo! Os movimentos corporais são igualmente importantes para comunicar a verdade do ser humano. Em maior ou menor grau podemos experimentar desconforto quando somos expostos publicamente.

É imprescindível aperfeiçoar a capacidade de se expressar fisicamente durante uma apresentação. Para que isso se faça com propriedade e equilíbrio, é necessário compreender a importância de cada gesto na interação humana e que se faça uma análise séria e criteriosa da relação não-verbal (os gestos e a postura) com a palavra dita.

Ter domínio sobre seu corpo ajuda a conquistar mais segurança nas situações em que você é o centro. Busque harmonia entre os gestos e as palavras, entre a linguagem corporal e a linguagem oral, pois desse conjunto depende uma comunicação clara e precisa. O não-verbal deve iluminar o conteúdo da mensagem e não ser uma sombra, que só fará diminuir o poder e a dimensão positiva das ideias. É como se os gestos, as expressões faciais e os movimentos formassem o desenhos, as imagens; e as palavras, os elementos estruturais da apresentação.

Algumas sugestões para a excelência na comunicação não-verbal:

Fale com autoconfiança, mantenha o olhar erguido, mas com simplicidade, nunca desafiador, as costas eretas, mas não com ares de superioridade. Isso facilita a proximidade com seu interlocutor e é sempre sinônimo de sucesso.

A naturalidade você adquire mantendo as pernas paralelas e levemente flexionadas. Seus pés devem sustentar toda a estrutura corporal, durante a exposição, fale em pé, isso permite a você estar mais presente e sua energia mais concentrada.

Um pequeno movimento dos olhos, do rosto, das pernas e principalmente das mãos revelam quem você é. As mãos, às vezes denunciam a nossa ansiedade, principalmente quando resolvem tremer como gelatina ou ficar frias como gelo. Inicie sua apresentação com as mãos soltas ao longo do corpo, aos poucos elas encontrarão espaço para se expressar, elas precisam falar natural e espontaneamente.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.