Ômar Souki

Tenho todo o tempo do mundo

Ômar Souki

Será que realmente tenho todo o tempo do mundo? Houve uma época em que eu repetia essa frase com frequência porque eu tinha pouco tempo e coisas demais para fazer. Eu tinha aprendido que quando a gente quer uma coisa, deve repetir que já a tem. Como o meu tempo era escasso e eu queria mais, eu repetia aquela frase. Quando eu me via apertado de tempo, eu dizia: “Tenho todo o tempo do mundo”. Quando alguém me perguntava se eu tinha tempo para ela, eu dizia: “Tenho todo o tempo do mundo”. Uma crença, uma vez estabelecida, tende a se confirmar. Se eu chegasse a acreditar naquela afirmação, eu teria, de fato, todo o tempo do mundo. O importante era acreditar naquilo, fosse ou não realidade. Com a crença viria a manifestação daquela riqueza: ter todo o tempo do mundo.

Há alguns dias, alguém me perguntou: “Você tem tempo? Se puder esperar, vou colher estes ramos de erva cidreira para você fazer um chá”. Automaticamente eu respondi: “Tenho todo o tempo do mundo”. E a frase ficou em minha cabeça, me pedindo para que eu refletisse mais sobre esse processo. Isso porque, de fato, eu agora tenho todo o tempo do mundo! Eu me dei conta do milagre que havia ocorrido em minha vida. Eu sou uma pessoa que tem todo o tempo do mundo. E você, também tem todo o tempo do mundo? Já sei a sua resposta: “Claro que não, há tantas coisas para fazer e tão pouco tempo. Até parece que o tempo está andando mais rápido”.

Tenho observado que até pessoas aposentadas andam reclamando da falta de tempo. Já não trabalham mais, mas de uma forma ou de outra se atolam em atividades. São os afazeres de casa, as compras, os netos, as viagens, etc., e o tempo não dá. Como, então, fazer para ter “todo o tempo do mundo”? Qual é o segredo? É viver no agora. “Como viver no agora, se eu vivo remoendo a lembrança de coisas que fiz ou deixei de fazer? Tenho também tanta ansiedade com relação ao futuro. Será que o mundo está prestes a acabar? Acho que estamos nos finais dos tempos”. Reze!

Por que rezar? Vai ajudar você a entrar no espaço sagrado do agora, acalmar sua culpa com relação ao passado e aliviar a sua preocupação com o futuro. “Mas eu não tenho tempo para rezar”. Se não tiver tempo para rezar, não vai ter tempo para as outras coisas. Arranje tempo para falar com Deus, para cuidar das coisas do Pai (essas coisas incluem você — cuide mais de você), e Ele vai lhe arrumar tempo para todas as demais coisas. À medida que fui me dedicando mais à oração — ao convívio com Deus — meu  tempo foi se ampliando. Agora sinto que tenho todo o tempo do mundo. Faço ginástica pela manhã e caminhada de tarde. Rezo o rosário diariamente (composto de quatro terços) e pratico a meditação silenciosa. E ainda sobra tempo para escrever livros e ministrar palestras. Foi pela Providência Divina e não por mérito meu. Tive fé. Cultivei a crença de que chegaria a hora de ter todo o tempo do mundo. E chegou!

Então quer dizer que eu não me estresso mais? Longe disso. Tenho recaídas e começo a pensar que não vai dar para chegar na hora combinada, ou que não vai dar para terminar o artigo no dia prometido. Mas, assim que silencio e acalmo a minha mente, e me dirijo para o quarto interior — orando ao Pai em segredo — sinto que, o Pai, que está em segredo, me recompensa com mais tempo. E, que é o tempo? O maior tesouro que existe. Devo, portanto, ver em cada momento a eternidade. William Blake disse: “Veja o mundo num grão de areia, veja o céu em um campo florido, guarde o infinito na palma de sua mão e a eternidade em uma hora de vida”. Isso não foi uma alucinação fugaz de Blake. É a pura realidade. Sim, todo o universo está em uma casca de noz, como afirma o físico Stephen Hawking, e eu acredito também que todo o tempo está contido em um segundo. É a nossa presença no presente que vai nos dizer quanto tempo temos. Presença fugaz no agora, pouco tempo. Atenção plena ao agora, muito tempo.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.