terça-feira, 6 de Março de 2018 16:33h Julia Sbampato

Alunos de Divinópolis podem expor protótipo de tênis que carrega celular no Equador

A equipe tenta arrecadar R$7 mil para arcar com as despesas da viagem e adaptar o protótipo

Alunos da Escola Estadual Ilídio da Costa Pereira, de Divinópolis, desenvolveram um protótipo de tênis que carrega a bateria de celular através da pressão. A equipe composta por sete membros com idades entre 14 e 15 anos já ficou em primeiro lugar na Feira da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e agora busca arrecadar R$7 mil para custear viagem à feira no Equador.

Túlio Guimarães, de 14 anos e Luis Otávio, de 15 anos contaram para a reportagem que atualmente estão no 1º ano do Ensino Médio, mas que o protótipo foi desenvolvido quando ainda estavam no 9º ano do Ensino Fundamental. Eles contaram que a ideia surgiu a partir de um projeto que ocorre na escola todo ano no qual os próprios estudantes precisam apresentar um projeto.

Segundo Túlio, a escolha do grupo foi de fazer um objeto que seria útil e ajudasse no dia-a-dia das pessoas. 

“Hoje em dia muitas pessoas tem problema de sedentarismo. No Brasil muitas pessoas têm esse problema por não fazer nenhum tipo de exercício físico, então a gente queria conciliar o exercício físico com uma tecnologia, e pensamos em fazer um tênis que pudesse carregar um telefone”, explica Túlio.

Protótipo

Os alunos explicam que fizeram um protótipo de um tênis que a medida que a pessoa faz a caminhada, ele consegue gerar um tanto de carga capaz de carregar o telefone. Dentro do tênis existe uma combinação de placas elétricas que geram energia através de qualquer tipo de pressão exercida sobre ela, junto com um pequeno capacitador que retira as energias negativas, pois, segundo eles, não conseguem carregar o telefone, apenas as positivas.

Todo o processo passa por um cabo e a energia é armazenada em uma Power Bank, porque sem ela poderia ocorrer um tipo de descarga, podendo até estragar o dispositivo. Nesta Power Bank tem um cabo, que, ao conectar no telefone, o faz carregar.

Trabalho exercido

“A gente começou esse processo no começo do ano passado e agora estamos tentando aperfeiçoar, para conseguir achar melhores coisas nesse tênis”.

O protótipo é simples e a equipe gastou cerca de R$150 reais. Pegaram seus próprios objetos que não tinham mais uso, como o tênis e a Power Bank e compraram a placa junto com os cabos.

Apesar de não conseguirem estabelecer um preço de mercado do tênis, afirmam que o possível valor poderia cair consideravelmente se o objeto fosse feito em larga escala.

Próximos passos

Os meninos estiveram na Câmara nesta terça-feira (06) para mobilizar os vereadores sobre seu projeto. Eles participaram de feiras locais, como no campus da Florestal de Viçosa, e ficaram em 1º lugar, conseguindo assim uma vaga em uma feira no Equador, onde podem apresentar o tênis para outras pessoas.

Segundo eles, o próximo passo é conseguir arrecadar dinheiro para participar dessa e de outras feiras e poder melhorar o tênis. A feira no Equador é uma feira comercial e para exposição, e querem tentar encontrar alguém para ajudar financeiramente ou mesmo expôr no Brasil e mundo o trabalho deles.

Para ajudar

Para ajudar os alunos da E.E Ilídio da Costa Pereira, os interessados podem fazer um depósito de qualquer valor na conta da co-orientadora e professora da escola, que ajudou no desenvolvimento do trabalho, Adriane Oliveira:

Agência 4341-9

Conta Poupança 21725-5

Banco do Brasil

 

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.