sábado, 1 de Dezembro de 2018 10:17h Letícia Ferreira

Dois municípios da região Centro-Oeste serão premiados por Gestão Ambiental

A premiação será em junho de 2019. Os municípios do Centro-Oeste indicados foram Itaúna e Carmo do Cajuru

Itaúna e Carmo do Cajuru, municípios da região centro-oeste de Minas foram indicados pelo Ministério do Meio Ambiente para serem premiados por sua qualidade na gestão ambiental. Ao todo foram escolhidos 100 municípios, sendo 13 mineiros. A premiação está prevista para junho de 2019, no Fórum Brasil de Gestão Ambiental, que será realizado em Campinas no interior de São Paulo.

 

 O anúncio dos municípios indicados foi feito nesta quarta-feira (29), pela secretária de Articulação e Cidadania Institucional do MMA, Rejane Pieratti, na 131ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), em Brasília. No total, foram 100 municípios contemplados mais os 27 que integram as secretarias de Meio Ambiente das capitais do Brasil e do Distrito Federal. 


Durante o anúncio, Rejane Pieratti ressaltou que a proposta é implementar uma estratégica de continuidade dessa iniciativa. “Considerando o município como um ponto estratégico do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama) para a implementação das políticas públicas ambientais, o MMA e a ANAMMA, em parceria com os órgãos estaduais de Meio Ambiente, desencadearam um processo de identificação dos municípios brasileiros que mais se destacam nesta questão”, explicou.

 

FORMAÇÃO

 

O MMA busca apoiar a construção de municípios voltados à sustentabilidade socioambiental, propiciando a formação dos seus cidadãos para atuarem na melhoria da qualidade de vida e na busca de soluções para o enfrentamento dos problemas socioambientais locais.



Em sintonia com essa diretriz do Ministério, o próximo passo será a implantação de um processo formativo continuado, no âmbito do Programa Nacional de Formação e Capacitação de Gestores Ambientais (PNC), levando aperfeiçoamento aos municípios que implementam ações de sustentabilidade e que promovem o fortalecimento do Sisnama, caracterizando-os como municípios multiplicadores de boas práticas e de capacitações, dando visibilidade a eles. “Sabemos que a mudança na gestão é um processo e, por isso, é lenta e requer acompanhamento, avaliação e reflexão. Nosso objetivo é formar pessoas para isso, exercitando no dia a dia novas competências, a fim de prepará-las para a gestão participativa”, destacou a secretária do MMA.

 

Entre os critérios de escolha, os municípios precisaram comprovar a existência do órgão municipal de Meio Ambiente e do Conselho Municipal de Meio Ambiente; percentual de Cadastro Ambiental Rural (CAR); ações de educação ambiental; adoção de compras públicas sustentáveis, de planos municipais de saneamento, de resíduos sólidos e de biodiversidade; além de iniciativas voltadas para implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Fonte: Ascom / MMA

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.