Em Campanha Salarial há 29 dias, servidores de Carmo do Cajuru aguardam reunião com prefeito

Diretor do Sintram denuncia falta de diálogo e pede respeito ao funcionalismo .

Desde o dia 28 de março, os servidores municipais de Carmo do Cajuru
definiram em assembleia a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2019,
porém até hoje o prefeito municipal, Edson Vilela, não retornou ao ofício do
Sintram, que foi enviado há 29 dias, solicitando reunião para abrir a
negociação. O Sintram, representado pelo secretário geral, Demetrio Bento,
tentou inúmeras vezes a abertura de diálogo, inclusive na última semana
esteve em plantão na porta do gabinete do prefeito e foi confirmado pela
administração, que até o dia 24/04 o prefeito atenderia a Comissão de
Servidores e o Sindicato para discutir a pauta de reivindicações. No
entanto, nenhuma resposta foi dada ao sindicato até a presente data.

 

Essa falta de diálogo do Executivo foi motivo para convocação de outra
assembleia do sindicato  que foi realizada no último dia (17). Segundo o
secretário geral do Sintram, Demétrio Bento, que coordena o trabalho do
sindicato na cidade, o sentimento dos servidores com a atitude do prefeito
Edson Vilela é de total insatisfação. "Estamos insistindo, cobrando o
agendamento dessa reunião para darmos início a discussão da Campanha
Salarial e o prefeito Edson até hoje não deu qualquer retorno para que
pudéssemos negociar o que é de direito do servidor. Ou seja, uma total falta
de respeito e desvalorização de nossos servidores municipais", denunciou o
secretário.

 

Entre os pontos definidos na Campanha Salarial e que aguardam para serem
discutidos com o chefe do Executivo estão: 1) a reposição das perdas
salariais decorrentes da inflação no percentual de  3,86% (conforme o
INPC/2018) mais 1,14% de ganho real; 2) implantação de revisão geral anual
automática, conforme o IPCA medido pelo Instituto de Pesquisas Econômicas
Administrativas e Contábeis IPEAD/ UFMG; 3) implantação imediata de
vale-transporte; 4) correção do vale-alimentação de R$8 para R$10 e a partir
de 2020, seja feita correção de acordo com o INPC; 5) revisão do Estatuto do
Servidor e solicitação de licença maternidade para 180 dias; e 7) mais
eficiência na entrega de equipamentos de segurança.

 

Rede social

Após ter tentado, várias vezes a abertura de diálogo com o Executivo, o
secretário geral, Demétrio Bento, que coordena o trabalho do Sintram na
cidade, denunciou em rede social de jornal local da cidade,  que o prefeito
Edson Vilela trata com indiferença os servidores, como se os mesmos não
fossem importantes para o município,  já que o chefe do Executivo não enviou
até hoje nenhuma resposta ao funcionalismo. "Vamos continuar cobrando esse
atendimento, os servidores é que levam a prestação de serviços a toda a
população e não podem ser tratados com essa indiferença e desrespeito. Na
rede social, o prefeito veio argumentar que está em dia com o trabalhador
municipal, mas até hoje não agendou uma reunião para que de modo democrático
e transparente pudéssemos sentar e discutir a pauta de reivindicação do
funcionalismo. O sindicato cobra o que é de direito do trabalhador, espero
que a administração cumpra com seu dever e nos dê o retorno ao ofício",
disse.
 

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.