quarta-feira, 25 de Abril de 2018 07:00h Portal Gazeta do Oeste

Mineira supera crise de depressão por meio do autoconhecimento e se conecta com novo estilo musical

Lee Miranda também atua como analista comportamental e jornalista. Ela transmite os aprendizados que foram essenciais para seu processo de autocura com o chamado Sertanejo Inspiracional

A conquista de uma nova vida. Após sofrer uma crise de depressão, Lee Miranda deu a volta por cima ao iniciar um processo de autoconhecimento, que envolveu inteligência emocional, neurociência e conhecimentos ancestrais. Hoje, sua missão é motivar e despertar no outro o desejo de se tornarem pessoas melhores e mais fortes emocionalmente. E a primeira forma de se conectar com pessoas é por meio da música, em um estilo ainda pouco conhecido, denominado Sertanejo Inspiracional.

“Como tenho a raíz sertaneja, minha música conta sempre com essa referência. Após essas transformações internas que passei, minha música acabou se tornando uma mensagem de amor, esperança e superação”, revela Lee. A cantora e analista comportamental destaca a importância de compartilhar sua história com pessoas que, muitas vezes, estão se sentindo angustiadas, perdidas ou vulneráveis. “Ninguém sabe o que o outro está passando. Muitas vezes, apenas uma palavra positiva pode reverberar boas vibrações”, completa.

Com uma infância denominada por ela mesma como simples e feliz, Lee sentiu, aos 13 anos, que alguma coisa estava errada. Se viu em uma profunda crise existencial, que acabou interferindo em sua qualidade de vida, como o sono, além de um mal estar físico e mental que perdurava por 24 horas por dia. “Recebi diversos diagnósticos, como depressão, esquizofrenia, transtorno bipolar, despersonalização e desrealização. Fiz uso de remédios controlados nos quais nunca resolviam de fato meu problema. Busquei tratamentos de todos os tipos, inclusive o ECT, conhecido como eletroconvulsioterapia, na qual passei por cinco sessões e nada”, relata.

A música entrou na vida de Lee como uma válvula de escape. “Percebi que quando cantava e criava uma canção, conseguia me integrar novamente comigo mesma. Assim, resgatava, mesmo que por alguns estantes, a alegria, a congruência e saúde mental”, diz. E isso acabou se tornando o primeiro passo de um projeto ainda maior. O espaço Somos Um, que fica em Belo Horizonte, traz palestras, cursos e workshops sobre o Despertar da Consciência e a importância dos valores fundamentais da vida como o amor e a gratidão.

“Somente o autoconhecimento trazendo a compreensão do meu funcionamento interno, o treinamento diário das competências emocionais e o encontro do meu ideal de vida, fizeram com que eu desse um giro de 360 graus em minha vida”, conclui a analista.

 

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.