quinta-feira, 12 de Julho de 2018 11:48h Portal G37

Promotoria não finaliza inquérito e funcionários do Luto tem afastamento prorrogado

O Ministério Público ainda não concluiu a investigação relacionada à fraude no Serviço Municipal do Luto em Divinópolis e por isso os servidores não podem retornar ao trabalho.  Apesar de afastados, eles continuam recebendo os salários, porém sem trabalhar.

A prefeitura de Divinópolis publicou no dia 06 de julho no Diário Oficial dos municípios, um decreto que mantêm afastados os servidores do serviço municipal do luto denunciados por esquema de corrupção.

A comissão de processo administrativo disciplinar negou possibilidade de transferência dos servidores para outros setores da prefeitura porque caracterizaria desvio de função. Já a exoneração só poderá ser feita quando as investigações forem concluídas comprovando o crime.

Em março deste ano, foram cumpridos 21 mandados de busca e apreensão. Todos os 20 trabalhadores do departamento, entre agentes funerários, administrativos e atendentes foram conduzidos à delegacia para prestar depoimento. Quatro agentes do serviço do luto e o funcionário de uma floricultura foram presos.

O golpe funcionava da seguinte forma: o servidor era procurado e indicava o consumidor para serviços como, por exemplo, da floricultura que cobrava um valor mais alto. Parte do lucro era repassada ao servidor que fez a indicação. A promotoria fez o indiciamento dos envolvidos. A estimativa é que o dano aos cofres públicos seja de cerca de R$ 300 mil.

 

 

Fonte - Sistema MPA

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.