sexta-feira, 23 de Agosto de 2019 17:27h Ilidio Luciano

Semana do deficiente será aberta no domingo com mostra de talentos na Praça do Santuário.

Vários eventos estão programados ao longo da semana e termina com dia esportivo na Unifenas.

ILÍDIO LUCIANO

A partir deste domingo (25/08) inicia-se a semana da pessoa com deficiência em Divinópolis; várias atividades estão programadas para acontecer na cidade, exaltando a importância da inclusão desse público em políticas públicas de acessibilidade, mercado de trabalho entre outros temas relevantes.

A Câmara Municipal também realizará eventos em alusão a semana, a presidente da Comissão da Pessoa com Deficiência da casa, Janete Aparecida comenta sobre a programação e os avanços que ainda são necessários.

“Nós já obtivemos uma vitória, que foi a instalação na Câmara, desta Comissão, mas nós temos que caminhar muito ainda, nós estamos com uma programação extensa, foi votado e aprovado aqui na Câmara a instituição do dia do deficiente, que vai passar a constar no calendário oficial de Divinópolis, para que todo ano, a gente faça pelo menos uma audiência pública para tratar de questões referentes a este público, como será feito este ano de 2019.”

A programação começa com mostra de talentos no domingo e segue até o dia esportivo, que acontecerá no sábado (31) na Unifenas.

“No domingo, 25 nós estaremos realizando a mostra de talentos, na Praça do Santuário; Na segunda-feira teremos uma palestra com um autista, que é médico aqui na Câmara Municipal; na quarta-feira haverá uma palestra para os deficientes, que vai tratar de vários assuntos do interesse deles, como inclusão no mercado de trabalho, cumprimento das cotas nas empresas e sobre o transporte coletivo; na quinta feira haverá uma roda de conversa; na sexta-feira acontece a caminhada, com saída da Catedral às 8h da manhã e chegada aqui na frente da Câmara e no sábado na Unifenas, terminaremos com a parte esportiva.

Janete denuncia algumas empresas que contratam deficientes, mas pedem que a deficiência seja leve, e que mesmo dentro das empresas, os deficientes ficam encostados, não dando à eles o efetivo trabalho

“Uma coisa que a gente precisa deixar bem claro é que, todo deficiente tem direito adquirido pela Constituição, toda empresa que possui um número de funcionários, tem que contar com  5% do seu quadro com deficientes. No entanto, há empresas que contratam o deficiente, mas manda ele ficar quietinho no canto, sem fazer nada, apenas para cumprir a cota, outras empresas buscam no Sine, deficientes leves, não existe isso, as empresas têm que cumprir a cota obrigatória de deficientes e colocar esse público para trabalhar efetivamente, não somente contratar para cumprir uma regulamentação federal”, termina.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.