segunda-feira, 9 de Setembro de 2019 11:57h Atualizado em 9 de Setembro de 2019 às 12:31h. Carlos Henrique Monteiro

Meia atleticano Cazares é investigado pela polícia

Atleta está sendo acusado de violência contra mulher. Vítima teria recusado R$ 10 mil do jogador para abafar o caso

CARLOS HENRIQUE MONTEIRO

O meia equatoriano Cazares, que atuou no domingo no Rio de Janeiro contra o Botafogo na derrota do Atlético 2 a 1 no Engenhão, se envolveu em uma grande confusão. 

Em uma festa que o jogador participou em Lagoa Santa, ele foi acusado de agredir uma mulher, que ligou para o 190 fazendo a denúncia, mesmo o jogador, segundo ela, tendo oferecido R$10 mil para ela não levar o assunto a polícia ou a imprensa

"Segundo a versão do jogador, estava ocorrendo uma festa na casa dele e ele percebia que duas das convidadas, duas mulheres, demoravam um tempo considerável no banheiro. Ele pediu que uma outra convidada fosse verificar o que estava acontecendo, e essa convidada percebeu que essas duas mulheres, as vítimas, estavam fazendo uso de entorpecente, possivelmente loló. Diante disse, ele se indignou e teria determinado que as duas mulheres saíssem da residência" - afirmou o Tenente Tiago Nasser.

"Elas (vítimas) alegam que o material delas havia sido extraviado - batom, coisas de uso pessoal - e, uma das convidadas teria se sentido ofendida, e partiu para agressões verbais e agressões físicas até que elas fossem retiradas da residência. As duas vítimas alegam que o jogador teria oferecido a quantia de 10 mil reais para que esse fato não viesse à tona. Para que não fosse chamado nem a Polícia Militar e nem a imprensa. Já ele alega que elas teriam solicitado esse valor para que esse assunto fosse mantido em sigilo" - explicou o Tenente Tiago Nasser da Polícia Militar.

As vitimas ainda passarão por corpo de delito, e Cazares está na condição de conduzido. Ele nega as acusações, e outros dois homens e uma mulher estão também sendo acusados de cometer o delito

"Aparentemente lesões leve, mas elas (vítimas) ainda vão passar pelo exame de corpo de delito. Na condição de conduzidos, uma mulher convidada e mais dois rapazes, que teriam seguido as orientações do jogador e procedido a retirada delas da residência. Ele está na condição de conduzido. As duas vítimas alegam que uma mulher, dois rapazes e mais o jogador teriam promovido essas agressões. Ele (Cazares) nega veementemente que isso tenha acontecido. Então, nós vamos encerrar o boletim de ocorrência e as partes serão conduzidas para delegacia para esclarecimentos ao delegado de plantão - concluiu Tiago Nasser.

O Atlético informou que só vai se pronunciar após o término das investigações. A Assessoria de Cazares informou que a acusação "não procede, que não houve nenhuma agressão e que tudo está sendo vinculado ao Cazares de maneira oportunista"

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.