sexta-feira, 11 de Agosto de 2017 08:32h Matheus Adler /Superesportes

Noção de marcação e "ajuda" na carreira: Romero vê vantagens em atuar na lateral

Volante do Cruzeiro acumula menos cartões jogando improvisado no setor

Quando a temporada 2017 começou, o torcedor do Cruzeiro jamais imaginou Lucas Romero atuando na lateral direita. No entanto, lesões e saídas de jogadores do setor obrigaram o técnico Mano Menezes a achar uma ‘solução caseira’ no elenco. Encontrou o argentino, que antes fazia dupla com Ariel Cabral no meio-campo.

Com Ezequiel enfrentando problema no púbis, além da saída de Mayke para o Palmeiras, a Raposa até foi ao mercado e contratou Lennon ao Cruzeiro-RS, mas o jogador não se firmou. Com isso, Mano Menezes testou Lucas Romero na lateral direita. E deu certo. O argentino – que já havia sido improvisado no setor em 2016 – voltou a atuar na nova posição contra o São Paulo, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, no dia 13 de maio (vitória por 1 a 0).

E a 'polivalência' de Romero pode trazer bons frutos não só para o Cruzeiro, mas também para o próprio jogador, que terá o currículo 'recheado' ao ter atuado na lateral direita.

“A verdade é que não (nunca atuou como lateral antes de vestir a camisa do Cruzeiro). Sou volante e sempre trabalhei como volante, gosto muito de jogar ali, mas hoje o time está precisando de um lateral, então trabalho dia a dia para reduzir esse déficit que temos na posição. Para minha carreira é muito importante estar atuando de lateral-direito, no futuro certamente será positivo para mim, mas sempre falo que sou volante”, declarou.

A improvisação de Romero reflete bem o que ocorre no futebol, não só brasileiro, mas também mundial: faltam laterais no mercado. E quando o volante disse que atuar nos flancos seria bom para sua carreira, um dos motivos certamente é a Seleção Argentina. Geralmente, a lista de convocados da Albiceleste conta com três laterais direitos: Zabaleta, que atua no West Ham-ING, Mercado, do Sevilla-ESP, e Buffarini, do São Paulo. Assim, o volante se colocou à disposição do técnico Jorge Sampaolli para atuar nos lados.

“Na Seleção Argentina eu jogaria até de goleiro. Mas certamente se tiver que cumprir a função de lateral-direito, tentarei fazer o melhor possível, ficarei ligado a cada jogo, e se eu tiver oportunidade de jogar na lateral na Seleção, farei o meu melhor”, garantiu Romero.

O camisa 29, no entanto, revelou que não foi fácil se adaptar à nova função, muito por causa da noção do campo, já que os panoramas no meio e na lateral são diferentes. Mas Romero destacou que aperfeiçoou a marcação, levando menos cartões. No Brasileirão de 2016, por exemplo, o argentino atuou em nove rodadas do primeiro turno e foi advertido com três cartões amarelos e expulso em duas partidas. Já neste ano, em 18 oportunidades, levou apenas dois amarelos.

“Quando sou volante, tenho o panorama do campo inteiro, mas na lateral, se você olhar para a direita, por exemplo, é completamente diferente. É um pouco mais difícil a adaptação. Melhorei muito em termos de marcação, passei a levar menos cartões. No ano passado eu tomei vários, então me adaptei bastante, sobretudo ao futebol brasileiro na hora da marcação, porque sempre falo que o futebol argentino é um pouco mais pegado”, concluiu.

Mas no domingo, contra o São Paulo, às 11h, no Morumbi, pela primeira rodada do returno do Brasileirão, Romero deverá ganhar "descanso" da lateral. É o que Mano Menezes sinalizou no treino dessa quinta-feira, quando utilizou Ezequiel, que aliviou as dores no púbis e pôde participar normalmente de atividade com bola.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.