quarta-feira, 11 de Outubro de 2017 08:39h Carlos Henrique

Próximo passo, seleção. Thiago Neves sonha após Penta da Copa do Brasil com o Cruzeiro

Após conquistar o pentacampeonato da Copa do Brasil com o Cruzeiro, acabar com um jejum de dois meses sem balançar as redes e ficar perto de alcançar a meta pessoal de assistências, Thiago Neves sonha com mais uma coisa para fechar o ano com chave de ouro: uma convocação para a seleção brasileira.

O meia, que soma 13 gols no ano e 11 assistências, revelou que um dos motivos para ter deixado os Emirados Árabes rumo ao Brasil foi para elevar o nível do seu futebol e ter chances no time do técnico Tite.

- Seleção será sempre Seleção! O jogador que disser que não sonha em vestir essa camisa estará mentindo. Independentemente da idade ou do país que está jogando, se você está fazendo um bom trabalho, você nutre uma expectativa de estar entre os selecionáveis, digamos assim. Já falei algumas vezes o que penso sobre o atual grupo que vem sendo convocado. É uma molecada muito boa, de muita qualidade, e muitos já com uma experiência internacional bacana. Eu já passei por isso, tanto de atuar no futebol do exterior quanto de ter a oportunidade e a honra de vestir a amarelinha, então posso falar com propriedade. Cada partida com essa camisa é um momento único na carreira e deve ser vivido como se fosse o “último ato” mesmo. Para representar a Seleção, tem que se doar de corpo e alma, suar sangue em campo, porque ali nós estamos representando 200 milhões. É com certeza o ápice profissional na vida de um atleta. Todos pensamos em Seleção, claro, mas antes disso temos que focar no clube que estamos.

O Cruzeiro não levantava uma taça desde o bicampeonato do Brasileiro, em 2014. A última vez que havia disputado a Libertadores foi em 2015. Para este ano, a diretoria traçou o objetivo de conquistar uma vaga na competição continental, além de conquistar pelo menos um título. A forma encontrada pelo Cruzeiro para cumprir os objetivos foi certeira. Ao conquistar a Copa do Brasil, o grupo celeste se tornou a primeira equipe do país a garantir presença na Libertadores do próximo ano. TN30 foi peça fundamental nesta conquista. Das 14 partidas feitas no mata-mata, ele participou de 13 e fez dois gols. Além disso, na disputa de pênaltis contra o Grêmio e Flamengo, converteu a última cobrança, garantindo o triunfo cruzeirense.

- Eu me sinto realizado por conseguir alcançar os objetivos que traçamos no início do ano aqui no Cruzeiro. Eu escolhi voltar pro Brasil contrariando a vontade da minha família justamente por procurar esse alto nível no futebol e, graças a Deus, as coisas têm dado certo. Uma convocação depois do título da Copa do Brasil seria maravilhoso, fechar com chave de ouro, né? Isso me estimula a continuar na mesma pegada para seguir fazendo gols, dando assistências e, óbvio, levantando taças aqui no Cruzeiro.

Meta pessoal

Quando chegou ao Cruzeiro, em fevereiro deste ano, Thiago Neves colocou uma meta pessoal de fazer 20 gols e dar, pelo menos, 15 assistências. Faltando sete bolas na rede e quatro passes para chegar ao objetivo, ele ainda tem 11 partidas até o fim do Campeonato Brasileiro.

- Claro que é bom conquistar objetivos pessoais, mas minha marca era ajudar o time na Libertadores, não vou mudar meu jeito de jogar. Vou continuar da mesma forma, porque as coisas vão acontecer naturalmente.

No topo

O Cruzeiro demorou para entrar no jogo contra a Ponte Preta, no último sábado. A Macaca saiu na frente no placar e apenas no segundo tempo o grupo celeste conseguiu virar o placar, vencendo por 2 a 1. A vitória levou o time mineiro à quarta colocação na tabela de classificação. No que depender do meia, o grupo continuará mostrando bom futebol, para seguir brigando no topo da tabela.

- Não dá para entrar com corpo mole e perdendo. A gente quer brigar lá em cima, temos condições para isso, então temos que continuar da mesma forma, jogando para conseguir o mais alto possível.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.