quarta-feira, 11 de Outubro de 2017 08:38h Agência Brasil

Chanceler espanhol diz que discurso de Puigdemont "foi uma armadilha"

O ministro das Relações Exteriores da Espanha, Alfonso Dastis, disse hoje (11) que o discurso feito ontem pelo presidente catalão, Carles Puigdemont, foi uma armadilha "para dizer uma coisa e a contrária", e reiterou que o Executivo está disposto a falar no marco da Constituição.

Segundo Dastis, Puigdemont "assume que tem o direito à independência após o resultado desse suposto referendo e depois pede ao parlamento para suspender os efeitos dessa declaração. Depois vemos que assinaram algo. Não houve decisão do parlamento. Francamente, é algo incompreensível".

O governo espanhol, destacou, "sempre disse que estamos dispostos a dialogar e negociar", "mas dentro da Constituição e com os meios oferecidos pelo nosso Estado de direito".

"São eles que não querem. Só querem falar da realização de um referendo na Catalunha que não é permitido pela Constituição", afirmou.

Para fazer a consulta, segundo Dastis, a Constituição deveria ser reformada: "É algo que se poderia fazer, mas seguindo os procedimentos da Magna Carta; e em todo caso não podemos aceitar que uma parte dos catalães decida pelo todo, que é a Espanha. Não poderíamos fazer um referendo exclusivamente para os catalães".

Responsabilidade

O ministro espanhol defendeu que o governo "atuou de forma responsável, proporcionada e comedida, e continuará assim": "Sempre teve uma atitude de fazer respeitar o estado de direito com os meios oferecidos pela lei".

Dastis também considerou que Puigdemont "segue fazendo o que sempre fez, avançar por um caminho que leva a situações que não queremos ver para a Catalunha", disse, sobre a possibilidade que possa resultar em "confrontos econômicos e sociais".

O ministro se pronunciou no dia seguinte após o presidente catalão afirmar que assume o "mandato do povo" para que "a Catalunha se transforme em um estado independente em forma de república", mas propôs "suspender os efeitos da declaração de independência" para abrir a porta do diálogo.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.