segunda-feira, 13 de Novembro de 2017 17:27h Atualizado em 13 de Novembro de 2017 às 17:29h. Diego Henrique

Jovem baleado em Perdigão morre em hospital de Divinópolis

Suspeito confessou o crime e assumiu que vítima foi morta por engano

O jovem de 28 anos baleado no ombro e na cabeça durante a noite do último domingo (12) em Perdigão, não resistiu aos ferimentos e faleceu nessa segunda-feira (13) no Hospital São João de Deus (HSJD), em Divinópolis. Um jovem foi preso e confessou o crime. Ele alegou que a vítima foi atingida por engano e a motivação seria o desentendimento com um traficante.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima foi encontrada na Rua Moacir Pinto, no Bairro Prolongamento Bela Vista, após populares acionarem os militares alegando terem ouvido disparos de arma de fogo.

No local, os policiais encontraram o jovem caído ao chão, com os ferimentos. Ele foi socorrido e levado para o Hospital da cidade, sendo transferido para o HSJD, em Divinópolis. A perícia da PC esteve no local e realizou os trabalhos de praxe.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do HSJD que confirmou a morte do rapaz na manhã dessa segunda-feira (13). Questionada se a vítima chegou a passar por procedimento cirúrgico, a unidade se limitou a comentar sobre o assunto.

Após receber várias denúncias anônimas informando sobre o autor do homicídio durante essa seguda-feira, os policiais foram até a residência onde a mãe do suspeito autorizou buscas. No quarto do rapaz, que não teve a identidade divulgada foi encontrada uma televisão de LED, 49 polegadas. Na cômoda do quarto foi apreendido um pequeno tablete de maconha e uma sacola com 61 tabletes da mesma substância.

Enquanto a PM realizava buscas, o suspeito chegou á residência.  Sobre a televisão, orapaz entrou em contradição, mas logo admitiu ter comprado o aparelho pelo valor de R$ 1,2 mil de um rapaz que está preso. Ele alegou ter feito a compra para quitar uma dívida no valor de R$ 600 em compra de drogas. Diante do flagrante, o jovem recebeu voz de prisão.

Questionado sobre a morte do rapaz, o suspeito alegou que na noite do crime estava na casa da namorada. Em contato com a companheira do suspeito, ela autorizou as buscas no imóvel e, em cima do guarda-roupa, foi encontrada uma arma calibre 380 com dez munições intactas e um revólver calibre 38. Como as armas estavam na casa da mulher que não teve a identidade divulgada, ela também recebeu voz de prisão por posse ilegal de arma de fogo.

Com medo de que a mulher fosse incriminada, o suspeito confessou a autoria do homicídio e contou ter planejado o crime juntamente com seu comparsa que ele preferiu não identificar. O motivo seria um desentendimento entre o autor e um rapaz que comanda o tráfico de drogas em um local conhecido como “Biqueira”.

No domingo ele e o comparsa foram até a “Biqueira”, para executar o traficante. Lá, eles efetuaram vários disparos e fugiram. Porém, o alvo da dupla não foi atingido. Segundo o autor, os tiros acertaram a pessoa errada.

O homem que confessou os disparos e a sua companheira foram levados para a Delegacia de Polícia Civil (PC) juntamente com o material apreendido, onde permaneceram à disposição da autoridade competente. A PC irá investigar o caso.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.