terça-feira, 9 de Janeiro de 2018 13:04h Atualizado em 9 de Janeiro de 2018 às 13:38h. Pollyanna Martins

Vereadores custaram mais de R$ 4,5 milhões aos cofres públicos em 10 meses

De acordo com o Portal da Transparência do Poder Legislativo, o edil que mais teve gastos com gabinete foi Marcos Vinícius (PROS)

Os vereadores custaram mais de R$ 4,5 milhões aos cofres públicos. De acordo com os dados do Portal da Transparência da Câmara, apenas com os gabinetes, os edis gastaram mais de R$ 110 mil de janeiro a outubro. Apenas com selos, os vereadores gastaram, em setembro e outubro, R$ 3.035,19. Os vereadores Ademir Silva (PSD), Delano Santiago (PMDB), Janete Aparecida (PSD), Josafá Anderson (PPS) e Roger Viegas (PROS) não utilizaram a verba nos meses de setembro e outubro. Os quatro parlamentares que mais gastaram com selos no mesmo período foram Adair Otaviano, Eduardo Print Júnior (SD), Marcos Vinícius (PROS) e Zé Luiz da Farmácia (PMN).

Os gastos dos vereadores são divididos em material de consumo, telefonia móvel, combustível, postagem, telefonia fixa e diárias e viagens. Apenas com essas despesas, os edis custaram R$ 115.180,44 aos cofres públicos. Em dois meses, os vereadores gastaram com gasolina R$ 7.329,85. Os vereadores Cleitinho Azevedo (PPS), Janete Aparecida e Josafá Anderson não gastaram verba com combustível nos meses referidos. Já os edis Nego do Butiris (PEN), Renato Ferreira (PSDB), Roger Viegas e Zé Luiz da Farmácia, não utilizaram a verba em um dos meses. Além dos gastos com selos e combustível, a Câmara teve despesa ainda com telefonia móvel, sendo que apenas Adair Otaviano e Marcos Vinícius utilizaram o telefone celular do Poder Legislativo, como aparece no demonstrativo. Os parlamentares gastaram R$ 107,82 nos meses de setembro e outubro, respectivamente, com telefonia móvel.

Conforme os dados disponibilizados pela Câmara, o vereador que mais gastou de janeiro a outubro foi Marcos Vinícius. O gabinete do edil custou aos cofres públicos R$ 12.493,38, seguido de Adair Otaviano, que gastou com o seu gabinete R$ 11.736,02, e Eduardo Print Júnior, que custou aos cofres públicos R$ 10.291,94 com o seu gabinete. Os três vereadores que menos gastaram com os seus gabinetes foram Roger Viegas, Raimundo Nonato (PDT) e Cleitinho Azevedo. Cada edil gastou em seu gabinete R$ 2.732,19, R$ 2.894,76 e R$ 3.743,51, respectivamente.

ASSESSORES

Além dos gastos com gabinetes, os edis contam ainda com verba para quatro assessores. Cada vereador tem um coordenador político, com salário de R$ 6.372,49; um assessor de relações parlamentares, com salário de R$ 4.437,97; um assessor de relações comunitárias, com salário de R$ 2.275,89; e um assessor de articulação política, com salário de R$ 2.471,61. Somente os quatros assessores de cada parlamentar custa aos cofres públicos R$ 15.557,96 por mês. Multiplicando o valor por 17, os assessores custam R$ 264.485,32. Em dez meses, os assessores dos vereadores custaram R$ 2.644.853,20.

O Poder Legislativo tem ainda as despesas com os salários dos edis, que é de R$ 10.645,13. Em 10 meses, a Câmara gastou R$ 1.809.672,10 apenas com os vencimentos dos vereadores. Ao todo, o Poder Legislativo custou aos cofres públicos com a manutenção dos gabinetes dos vereadores, seus salários e os salários de seus assessores R$ 4.569.705,74 de janeiro a outubro.

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.