terça-feira, 10 de Julho de 2018 11:40h Portal Gazeta do Oeste

Samu completou 1 ano de existência e já atendeu mais de 240 mil ocorrências

O Portal G37 foi até a Central de Regulação, em Divinópolis, para conhecer a rotina de trabalho e os novos serviços incorporados ao Samu

O Samu – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – completou um ano de serviços prestados na região Centro-Oeste e já atendeu mais de 240 mil ocorrências em 54 cidades. No total, mais de 1,2 milhão de pessoas tem cobertura de ambulâncias e equipes médicas para casos de urgência e emergência hospitalares.

O Portal G37 esteve na sede o Samu Cir-Urg Centro-Oeste, em Divinópolis, para conhecer a rotina e a importância desse serviço criado para salvar vidas. Saiba como funciona um atendimento de urgência, quando você deve acionar esse serviço, quais são os problemas enfrentados e muito mais.

 

O que é o Samu?

O serviço Samu 192 presta socorro a população nas residências, locais de trabalho e vias públicas. A equipe é composta por condutores-socorristas, técnicos em enfermagem, enfermeiros e médicos, todos capacitados em atendimento de urgência de natureza traumática, clínica, pediátrica, obstétricas e psiquiátricas.

O Samu também realiza a transferência inter-hospitalar de pacientes graves de um hospital com menos recurso para uma unidade com maior capacidade de atendimento.

É responsável pela regulação de todos os atendimentos de urgência via telefone, pelos atendimentos móveis que dispensam as viaturas e pelas transferências de pacientes aos hospitais.

 

O Samu na região Centro-Oeste

Na região do Centro-Oeste mineiro, o Samu atende 54 cidades que correspondem a uma população de aproximadamente 1,2 milhão de pessoas. Ao todo, são 31 ambulâncias espalhadas em 23 cidades estratégicas, de maneira que o atendimento médico possa chegar no menor tempo possível em qualquer um região de cobertura.

Cidades com população maiores, como Divinópolis, Nova Serrana, Oliveira, Itaúna, Formiga e Campo Belo possuem dois tipos de ambulâncias, conhecidas como Unidade de Suporte Básico e Unidade de Suporte Avançada.

Em um ano, o Samu realizou mais de 240 mil atendimentos na Central de Regulação, 40 mil saídas de ambulâncias e 30 mil orientações médicas através do telefone.

 

Como funciona o atendimento do Samu?

Antes de tudo, é importante saber que o Samu atende apenas casos de urgência e emergência, portanto, não realiza transporte de pessoas para a realização de exames médicos ou qualquer outro tipo de chamada.

Diante da necessidade de um atendimento médico de urgência ou emergência, a pessoa deve ligar para o número 192, onde será atendida por um técnico auxiliar de regulação médica que colherá informações preliminares em relação à ocorrência. Nessa etapa, serão informados nome do paciente, idade possível, a localização e o tipo de acidente sofrido. Em seguida, esses dados são repassados para um médico que prossegue com as orientações e avalia a necessidade ou não do empenho de uma ambulância ao local.

Em alguns casos menos graves, o atendimento pode ser feito apenas por telefone, através de orientações de um médico, sem a necessidade de uma equipe no local.

O tempo de atendimento de uma ocorrência, desde o momento da ligação até a chegada da equipe médica, leva, em média, de 18 a 19 minutos em qualquer lugar da região Centro-Oeste. Essa agilidade é fundamental para salvar vidas e diminuir as complicações na saúde dos pacientes.

 

Equipes e Unidades do Samu

Existem dois tipos de ambulância no Samu: a Unidade de Suporte Básico (USB) e a Unidade de Suporte Avançada (USA). Para cada tipo de ocorrência uma deles pode ser empenhada, de acordo com a avaliação médica.

As ambulâncias do tipo Unidade de Suporte Básico são tripuladas por um técnico de enfermagem e um condutor-socorrista. Essa viatura atende casos com menor complexidade e carrega equipamentos básicos de suporte à vida, como Kit Parto, talas de imobilização para vítimas de traumas, oximetria de pulso e medicamentos como analgésicos, antitérmicos, broncodilatadores, anticonvulsivantes e sedativos.

As Unidades de Suporte Avançadas são tripuladas por um condutor-socorrista, um enfermeiro e um médico. É considerada uma UTI móvel e é capaz de atender casos mais graves como procedimentos invasivos, como intubação, drenagem torácica, partos, doenças cardiovasculares graves, infartos e arritmias. Essa unidade é equipada com aparelhos de alta tecnologia, como: respirador mecânico, cardio versores, bomba de infusão de seringa, detector fetal, monitorização de oximetria, imobilizações para vítimas presas em ferragens e uma ampla classe de medicamentos.

 

Devo ligar para o Samu ou para o Corpo de Bombeiros?

Como a criação do Samu é relativamente recente em nossa região, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre para onde ligar em casos de emergências: Samu ou Corpo de Bombeiros?

O Samu, como já foi dito, atende casos de urgência e emergência hospitalares, tais como: problemas cardiorrespiratórios, intoxicação, queimaduras graves e choques elétricos, ocorrência de maus-tratos, trabalhos de parto, crises hipertensivas, acidentes com produtos perigosos, perfurações causas por tiros ou objetos perfurantes e transferências hospitalares de pacientes com risco de morte.

Já o Corpo de Bombeiros age na proteção pessoal e patrimonial da sociedade e do meio ambiente e deve ser acionado em casos como: prevenção e combate de incêndios, resgates em altura, desencarceramento em acidentes rodoviários e ferroviários, intervenção em incidentes elétricos, hidráulicos ou com a rede gás, resgate aquático, corte de árvores com risco de queda e captura de animais.

 

Trotes

Qualquer ligação realizado ao 192 a partir das 54 cidades da região, cairão na Central de Regulação do Samu Cir-Urg Centro-Oeste, que se encontra em Divinópolis. São cerca de 700 ligações diárias com as mais diversas demandas de atendimento. Porém, mais de 20% dessas ligações são trotes.

O trote pode ser considerado crime, com pena de 1 a 3 anos de detenção ou pagamento de multa. É preciso conscientizar a população para que esse tipo de brincadeira de mau-gosto gera custos ao deslocar uma equipa médica para atendimento de urgência e ainda pode colocar em risco outras vidas que realmente estejam necessitando de assistência.

 

Novos Serviços

Durante a coletiva de imprensa que marcou o primeiro ano de funcionamento do Samu no Centro-Oeste mineiro, no mês de junho, foram anunciados dois novos serviços aos usuários. As novidades são a inclusão do medicamento “tenecteplase” para casos de infartos e de um ultrassom nas Unidades de Suporte Avançadas.

De acordo com diretor técnico do Samu, Marco Aurélio Lobão, “O aparelho [de ultrassom] possibilita uma avaliação rápida de possíveis sangramentos no tórax ou abdômen, assim como a avaliação da vitalidade fetal. Isso significa que teremos condições de prestar atendimentos de maneira assertiva, conduzindo os pacientes às portas de emergências que oferecem os melhores recursos. Já o 'tenecteplase' nas ambulâncias significa, antes de mais nada, reduzir as mortes por infarto na região. Isso porque o medicamento é administrado em dose única, cuja ação no organismo é imediata”.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.