sexta-feira, 19 de Maio de 2017 09:07h Nayara Leite

10ª CaminhadaTodos Contra a Pedofilia foi realizada em Divinópolis

Para o promotor Carlos José Fortes,prevenção de crimes de violência contra crianças e adolescentes é o melhor caminho

Na manhã desta quinta-feira (18), aconteceu emDivinópolis adécima edição da Caminhada Todos Contra a Pedofilia. Os participantes se reuniram na Praça da Catedral, percorreram algumas ruas do Centro da cidade e finalizaram o ato na Praça do Santuário.

O dia 18 de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e visa mobilizar a sociedade contra qualquer tipo de violência sofrida por crianças ou adolescentes, ressalta a importância da atenção e cuidado para evitar esse tipo de crime e ainda da necessidade de denunciar tais atos.

Adultos, jovens, crianças e idosos de Divinópolis e cidades da região participaram da caminhada.De acordo com os organizadores, um cálculo feito em parceria com a Polícia Militar estima que aproximadamente 2.500 pessoas estiveram presentes. Para o promotor de justiça Carlos José Fortes, da Promotoria da Infância e Juventude, a união de toda a sociedade é fundamental na luta contra os crimes de violência que ocorrem com incapazes. “Participaram todos os times, partidos políticos e orientações sexuais, porque esse é um interesse geral, garantir o direito da criança e do adolescente. Investir nas crianças é a forma que a gente tem de melhorar a situação que estamos vendo hoje, a cada notícia ficamos mais estarrecidos”.

Sandra Amaral, do grupo de apoio à adoção De Volta Para Casa relembrou que o evento foi lançado em Divinópolis com parceria do grupo de adoção. “É muito importante ter participado desde o início, me mostrar que as crianças são muito importantes para nós. A adoção não é preocupar apenas com as crianças que estão no abrigo, é cuidar das crianças que estão dentro das nossas casas. E alertar os pais e responsáveis como é esse tipo de crime, que às vezes não tem um rastro, não tem como saber quem é um pedófilo, por isso todos devem ficar atentos ao comportamento e às mudanças das crianças e adolescentes”.

PREVENÇÃO

Mais importante que a denúncia de crimes contra crianças e adolescentes, o promotor destaca que são as ações de prevenção dos abusos. “A educação, o cuidado, a atenção à vida do seu filho são essenciais para evitar os crimes. Os pais devem participar da vida do filho, conhecer. Como o velho ditado:“é melhor prevenir do que remediar”. Não há nada que pague o abuso de uma criança. Você pode punir o criminoso e ajudar a vítima. Mas as sequelas vãoexistir. A criança que sofre um estupro ou é exposta nas redes sociais a gente tem que prender a pessoa que faz isso, mas muito melhor é que esses crimes não aconteçam”,destacou Fortes.

A vereadora Janete Aparecida destacou a necessidade do diálogo com as crianças e adolescentes. “Devemos falar sobre o assunto com as crianças, para que os pais percebam qualquer mudança de comportamento dos filhos. Na caminhada, os pais têm que participar e trazer seus filhos. Não esquecendo que a maioria dos casos de violência contra a criança e o adolescente, de uma maneira geral, infelizmente, acontece dentro de casa. As famílias que deveriam dar amor dão violência e não permitir que isso permaneça mais,” afirmou.

Para o participante Geraldo de Oliveira, o evento mostra para as pessoas que o cuidado com as crianças é essencial, já que, por vezes, o perigo está dentro da própria residência, “nós temos que abrir os olhos e ficar em vigília dia e noite, para que esses crimes não aconteçam”.

DENÚNCIAS

De acordo com José Carlos, a denúnciae também um ato de prevençãosão fundamentais, o promotor recomenda ainda que as denúncias sejam feitas diretamente com uma autoridade, com um policial, com conselho tutelar, ou promotor.

As denúncias podem ser feitas pelo Disque 100, diariamente, de 8h às 22h, inclusive aos finais de semana e feriados. As denúncias podem ser feitas anonimamente.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.