terça-feira, 14 de Novembro de 2017 09:32h Pollyanna Martins

Vereador cobra licenciamento ambiental para Nascentes das Gerais dar continuidade às obras da MG-050

Josafá Anderson (PPS) disse que a empresa usa a falta de licenciamento para atrasar as obras na rodovia

O vereador Josafá Anderson (PPS) acusou a concessionária Nascentes das Gerais de usar a falta de licenciamento ambiental para atrasar as obras em Divinópolis. Em seu discurso na reunião ordinária dessa quinta-feira (9), na Câmara, o edil disse ter ido até a Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) do Alto São Francisco três vezes em busca do licenciamento ambiental da concessionária, para que a mesma continue as obras na MG-050, porém, em nenhuma das tentativas, conseguiu resposta da Secretaria. “A gente vê até mesmo com indignação até mesmo a falta de educação que foi feito o atendimento através da Supram. Não responde os ofícios, não atende o telefone”, reclama.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), assinou no início deste ano o 7º Termo Aditivo da Parceria Público-Privada. O novo cronograma de obras foi acordado entre o Governo e a concessionária após os constantes atrasos nas intervenções que deveriam ser feitas na MG-050, e o governador Fernando Pimentel (PT) ameaçar abrir as cancelas dos pedágios caso a Nascentes das Gerais não começasse as obras na rodovia em um prazo de 10 dias. Mas nem mesmo o 7º Termo foi capaz de fazer com que a concessionária cumprisse a sua parte no contrato assinado. Entre as várias intervenções que deveriam ser feitas na MG-050, apenas uma foi iniciada, e várias outras continuam em atraso.

De acordo com o vereador, as obras estão em atraso, pois a concessionária não possui licenciamento ambiental da Supram para iniciá-las. “Já é difícil mexer com a Nascentes das Gerais com essa questão de burocracia e aditivo. Agora que a gente conseguiu um aditivo ela vem com essa licença ambiental”, critica. Josafá afirmou ainda que a concessionária não está fazendo questão de conseguir o licenciamento ambiental para iniciar as obras na rodovia. De acordo com o edil, ele convocou o Poder Executivo para que seja feita uma reunião entre a Nascentes das Gerais e a Supram, para que seja resolvido este impasse. “E para que comece as obras da [Avenida] J.K. e da trincheira da Rua Ibirité, que já estão atrasadas por demais”, reclama.

NASCENTES DAS GERAIS

Em nota, no dia 26 de outubro, a concessionária informou que as obras da MG-050 estavam atrasadas, pois a empresa estava aguardando a emissão da Licença de Instalação, que estava em análise na Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) do Alto São Francisco, para corte de árvores e intervenção em área de preservação permanente. “A concessionária apresentou tempestivamente o pedido de licenciamento ambiental ao órgão, ainda em 2016, e tem atendido sempre que solicitado pelo mesmo, aos esclarecimentos e informações adicionais requisitados”, informou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.