Corpus Christi.

Corpus Christi

 

         Interessante como a grande maioria não sabe o por que deste dia, a história nos conta que há muitos anos atrás um padre não acreditava que a hóstia consagrada era o sangue e corpo de Cristo, mas teve uma grande surpresa em um dia quando foi celebrar a missa e ao pegar a hóstia para juntar ao vinho ela começou a pingar gotas de sangue ficando assim provado, o papa da época então decretou que neste dia seria comemorado o Corpo de Cristo, ficando por ser em latim Corpus Christi.

        Tenho muitas lembranças deste dia em minha infância, começava cedo a movimentação em volta do santuário, como morava na esquina de baixo participava desde o começo até o fim. Eram elaborados grandes tapetes que cobria toda a rua, do santuário até a catedral. Descia a rua São Paulo virava a Antonio Olimpio quebrava para Osvaldo Machado virando na Divino Espirito Santo chegando na Praça da Catedral. A Rua Osvaldo Machado Gontijo por ser mais estreita ficava uma coisa deslumbrantes e também por no quarteirão ter duas artistas, Alice e sua irmã.

         A elaboração era diferente do que acontece agora, hoje em dia esticam um pano no meio da rua fazendo nele os desenhos, na minha infância durante muito tempo todos moradores  guardavam pó de café, casca de ovos serragem, carvão, tintas, flores e tudo mais que serviria de enfeites, no dia as artistas das ruas iam desenhando e a turma decorava os desenhos, era uma coisa fantástica, você não via o calçamento da rua.

        Na hora da procissão era muito forte ver as pessoas passarem por cima dos tapetes como num ritual, ali o povo tinha a certeza de fazer parte de tudo.

        Adorava a procissão nós os meninos íamos e voltávamos do começo ao fim fazendo a maior zueira, sempre tinha aquelas carolas que nos davam umas lavadas de cara.

        Outro ponto interessante era com as velas, íamos atrás das mulheres com aqueles cabelos longos fingíamos um tropeção e chegávamos o fogo perto do cabelo só sentia aquele cheiro de queimado e saíamos na correria quase morrendo de rir.

       Em um ano me lembro que o padre nos passou algumas obrigações acho que era para acalmar a turma, mas rapidinho notamos suas intenções e cascamos na multidão, o bom da procissão era zuar.   

       E nós continuamos aqui na TOK EMPREENDIMENTOS sempre com o imóvel certo para você.        

                

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.