Os anos 70.

         Hoje passando pela nossa Divineia desenfreada, com os carros a todo vapor, as motos tentando atropelar e serem atropeladas e o povo na luta diária não imagina o que vivemos nos anos 70.

        Naquela época as coisas estavam acontecendo, nosso governante era um idealizador e sabia o que fazer e como transformar nossa terra para os moldes do futuro, seu nome Antônio Martins Guimarães.

      O homem tinha como símbolo o cata-vento, sabia que a energia era feita para expandir, a cidade e seu povo mereciam crescer para todos os lados e isso foi o que aconteceu.

      Cada lugar que fosse na cidade existia um canteiro de obra e não era coisa simples era de estrutura brava, até hoje tem muita gente que não enxerga o que foi feito nesta época, o grande trabalho executado foi na maioria por baixo da terra, nossa poderosa rede fluvial, a rede de esgoto, os grandes viadutos do porto velho e niteroi e muitas obras na periferia.

       Uma das coisas que mais me marcou foi a transformação do centro, na época éramos meninos e prontos para tudo, a vida feita para viver.

       Como me lembro da grande fenda rasgada na Av. Independência hoje Antônio Olímpio de Moraes, da rua Pernambuco até na Osvaldo machado, ali um mundo de grandes manilhas serpenteava aguardando para serem colocadas. Eu e meu primo e parceiro de aventura Gilberto, entravamos na Goiás e saíamos na rua Rio de Janeiro pelo túnel de manilhas, falo muito que conhecemos nossas ruas por fora e por dentro.  

       Como era interessante achar que nossas ruas eram tremendamente largas e que nunca ficaríamos com problemas de estacionamentos, doce ilusão hoje o difícil é colocar um carro no centro.

       Hoje quando passamos sem conhecer muito dos rostos que transitam por aqui, sentimos que crescemos e como tudo na vida teve coisas boas e umas que não gostamos de sentir.

      Mesmo assim sou louco por esta terrinha que me viu crescer e que assisti de camarote seu crescimento. Minha querida terra do Divino.     

      E continuámos aqui na TOK EMPREENDIMENTOS, rua Cristal 120, centro, lutando por dias melhores.

 

    

  

                  

 

 

 

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.