Tempos modernos

     Acordamos diariamente ligados, vigiados enfim monitorados de todas as maneiras possíveis. Levantamos ao som de nosso celular nos acordando e ali começa nossa batalha diária, somos avisados dos compromissos, o que temos para comprar, o que devemos vender, quem foi preso, quem está viajando, chegamos ao cumulo de saber o que o outro está comendo, passando no corpo, vestindo enfim sabemos de tudo e todos sabem tudo de nós.

      Que saudade daquele tempo que os telefones eram fixos, que ficávamos sabendo dos acontecimentos através dos jornais, rádio e televisão.

       Os velórios eram avisados na missa, a radio tinha um papel importante pois noticiava tudo que estava acontecendo no mundo e na cidade.

       Quem não se lembra dos shows, a expectativa era enorme todo mundo só falava daquilo, sabíamos a hora e onde os artistas iriam estar, a rua enfrente o hotel ficava lotado.

       Outra coisa muito engraçada era maneira de vestir, na época as lojas da moda era as boutiques, existia a Kari, Modinha, Cida Modas e mais algumas, todo mundo só comprava ali, as novelas ditavam o que deveríamos usar, quem não se lembra de Dancin Days , as meninas todas de meias de lurex muita roupa colorida, vestíamos igualzinho a novela kkk era show.

       Ensaiávamos a semana inteira os passinhos de dança para arrasar na boite no final de semana.

       Ficávamos sabendo das festas , aniversários e casamentos nas fofocas dos amigos e se convidados íamos mesmo, mas se não, íamos de penetras, e era delicioso.

      Tudo era muito intenso, sempre tinha aquela que estava grávida, aquela ou aquele que traiu ou foi traído, as brigas que acontecia depois dos bailes, interessante como tinha brigas no final das noites.

     As viagens distantes era só para quem tinha muito dinheiro, o resto ia para praia, castelhanos, Guarapari e Cabo frio.

     Existia aquela moçada que depois de formar no 3º ano iam estudar fora, BH e quando vinham no final de semana sempre traziam novidades, ou melhor eram a novidade.

      As turmas eram enormes, adorava sentar no passeio e ali bater papo com a moçada até tarde, delicia. O mais perigoso na época era aparecer um doido e colocar a gente para correr, erámos felizes e aproveitamos esse privilégio.

       E continuamos aqui na TOK EMPREENDIMENTOS , Rua Cristal 120 , realizando sonhos.

         

                     

 

  

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.