É A ECONOMIA, ESTÚPIDO! (*)

Os homens componentes do núcleo duro do Governo Federal, aparentemente, não têm amigos bons o suficiente para esclarecê-los a respeito da “cuestão” ambiental. Ou se existem, são amizades falsas. 

Por que não apareceu um amigo pra dizer ao então presidente eleito que pegaria mal pra caramba prometer a fusão dos Ministérios da Agricultura e do Meio-Ambiente?

Faltou aquele amigão pra chamar o presidente no canto e aconselhar a não se reunir com madeireiros ilegais e garimpeiros. O mundo inteiro vai olhar torto, pense bem...

Retirar o cargo de confiança do fiscal ambiental por vingança pessoal também pareceria péssimo a um amigo sensato.

Bom amigo, em cochichos, diria que dificultar as ações de fiscalização do IBAMA nas florestas, prometer sair do Acordo de Paris e não demonstrar nenhuma manifestação de pesar e preocupação com as queimadas que horrorizavam o planeta poderia prejudicar o País.

Hoje, mais uma vez, o ministro do Meio-Ambiente propôs medida contra aquilo que ele deveria proteger.

Não sou amigo dessa galera, mas mesmo assim recomendo: vocês não entenderam ainda, mas proteção ambiental não é coisa de esquerdista. Tentando explicar bem, é tipo cloroquina, que vocês também ainda não compreenderam nada ter a ver com ideologia política.

Admito que eles desconheçam aquilo que aprendemos na escola primária: a vida humana depende diretamente da proteção ambiental. Vamos supor que faltaram a essas aulas. Assim, eu recomendaria que eles pensassem na economia.

Seus burros, atitudes como essa são ruins para a economia!

Perguntem aos grandes empresários da agroindústria. Chamem de ladinho o Blairo Maggi. Vocês sabem que Maggi não é comunista, não é? Ele vai contar pra vocês o seguinte: “maltratar o meio-ambiente é ruim para os negócios. Consequentemente, derruba o PIB, causa desemprego, reduz a arrecadação de impostos...”

Não é achismo. Os grandes fundos gestores de fortunas são proibidos de investir em países cujas políticas ambientais são frágeis. Alemanha e Noruega já pularam fora do Fundo Amazônia. O Brasil está sendo ridicularizado e odiado pelas nações mais importantes do mundo – os donos do dinheiro – porque um bando de patetas acredita que ser de direita não combina com proteção ambiental.

 

(*) o título da coluna remete à célebre fala de James Carville durante a campanha de Bill Clinton à presidência dos EUA em 1991, ressaltando que a grande questão a ser enfrentada era a economia.

 

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.