OS GRANDES MENTECAPTOS.

Se a internet deu voz aos imbecis, conforme afirmou Umberto Eco, esse foi apenas o primeiro passo. Verdade é que se assiste a notável evolução dos energúmenos, os quais têm alcançado postos importantes. Com essa gente em destaque, aquilo que até outro dia considerávamos maluquice tornou-se normal, corriqueiro.

Terraplanistas, teóricos que questionam os males causados por cigarro, negacionistas do aquecimento global e outros adversários da ciência ganharam espaço, microfones, canetas decisivas. Nos EUA, por exemplo, já existe um relativamente robusto movimento anti-vacinas que, inclusive, vem dando seus primeiros passos no Brasil.

O tempo da obtusidade é aquele em que Greta Thunberg, de 16 anos, ativista mundialmente reconhecida em sua luta a favor da vida humana sobre a Terra, passa a ser alvo do ataque verborrágico de homens adultos. Um radialista brasileiro, por exemplo, declarou aos berros através dos microfones da Rádio 96 FM de Natal:

 

“Ela está precisando de um homem, ou macho ou uma fêmea. Se ela não gosta de homem, que ela pegue uma mulher. Ela tá precisando de sexo.”

 

O músico Roger Moreira, do Ultraje a Rigor, na mesma linha, publicou uma piada sexualizando a menina.

O deputado Eduardo Bolsonaro postou foto com montagem para atacar a ativista. Mesmo após o mundo inteiro apontar a falsidade da imagem, ele não se retratou.

É nessas que os mentecaptos revelam sua verdadeira natureza, oculta por detrás do disfarce de defensores da família, dos bons costumes e das crianças. Dizem-se conservadores mas talvez o que pretendam conservar seja, entre outras coisas, a cultura de submissão, ridicularização e abuso da mulher, ainda que se trate de uma menina de apenas 16 anos de idade.

O que, nas atitudes da menina sueca, incomoda tanto esses senhores?

Greta Thunberg, a jovem que luta por todos, está indicada ao Prêmio Nobel da Paz.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.