Gratidão.

 

Do limão, limonada. Do cancelamento, livramento. Enfim, o terceiro ato de “Geni e o Zepelim”. Sua inutilidade a torna de novo execrável. Mas ela, na sua inocente repugnância volta à mediocridade, sem culpa nem remorso.

É bem fácil transformar herói em vilão e vice-versa. Basta manipular pessoas e palavras com destreza. É cômodo que vejamos o outro e não a nós mesmos com olhos de “retidão”. Ainda bem que tem Alguém vendo tudo isso. Silencioso, mas eficiente.

Guiomar integra o grupo Vozes de Minas (locutores, cantores e atores): www.vozesdeminas.com.br/voz/guiomarcastro

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.