sexta-feira, 14 de Agosto de 2020 15:39h Portal G37

A importância da fase preliminar no cenário de um processo construtivo.

O processo correto, e diagnosticado pela engenharia e construção civil inicia com os estudos geotécnicos, após o levantamento topográfico ou planialtimétrico. Na engenharia civil, o solo é o suporte das obras, além de ser utilizado em aterros compactados para os mais diversos fins. É considerado um material heterogêneo, com propriedades variáveis. Além disso, é não linear, ou seja, suas reações às tensões, principalmente à compressão, não são variáveis, podendo afetar enormemente seu comportamento; e anisotrópico, suas propriedades e materiais que o compõem não são iguais. Portanto, a análise do solo e seus componentes são o primeiro passo para o início das atividades de uma edificação.

 

Em um ‘parênteses’, importante se faz registrar que para início de qualquer atividade de construção, movimentação de terra ou outros elementos que envolvam a condição natural da topografia de um solo, necessário de faz a execução dos projetos legais, aprovados pelo município, com Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) legitimada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (CREA-MG), que espelhará um profissional técnico da engenharia e/ou arquitetura sob trabalhos técnicos envolvidos no processo construtivo, como é o caso de projetos e execução.

 

O solo é o objeto de estudo do engenheiro geotécnico. Existem vários métodos de investigação de subsolos, mas no Brasil o mais comum é a sondagem SPT, também conhecida como sondagem à percussão. A partir da sondagem, se obtém variadas informações, como o perfil do solo metro a metro, o nível do lençol subterrâneo (fator da resistência dos solos), e a determinação da resistência do solo às tensões.

 

Em posse dessas informações, o engenheiro poderá tomar decisões de projetos e sua execução mais eficientes, precisas, seguras e econômicas, como o melhor posicionamento da edificação no terreno e suas fundações, por exemplo.

 

Portanto, após os trâmites legais, e estudos geotécnicos é que se dará ao processo de execução dos projetos complementares, quais sejam de estrutura, fundações, elétricos, hidro sanitários, etc.

 

O levantamento topográfico consiste na representação - planimétrica ou altimétrica - em carta ou planta dos pontos notáveis assim como dos acidentes geográficos e outros pormenores de relevo de uma porção de terreno. Portanto, este levantamento, que se expressa através de um projeto e memorial descritivo, deverá conter o melhor cenário para o cliente quanto à movimentação de terra e a situação topográfica do terreno onde será edificada uma construção.

 

Só após estas etapas previstas, é que se dará início às obras de serviços preliminares, infraestrutura (prevê o movimento de terra necessário. O tipo de fundação projetada e a impermeabilização prevista para as fundações), supraestrutura (descreve o tipo de estrutura projetada e materiais. Prever cinta de concreto para amarração da alvenaria), paredes e painéis (descreve o tipo de alvenaria tanto estrutural quanto de vedação. Especifica onde serão executadas as vergas e contravergas), etc.

 

Luiz Otávio Santos Pereira

Eng. Civil Sócio da Luppa Engenharia Diagnóstica Ltda.

Especialista em Avaliações e Perícias de Engenharia

CREA-MG 173.118/D

(37) 3214-2160 – (37) 98842-7847

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.