Dias de luta!

O Dia Internacional das Mulheres – assim como o Dia do Trabalho, Dia Mundial da Paz, e outros – é data de afirmação, e não de simples comemoração. Tratá-los como um dia a se comemorar esvaziaria o sentido data tão profundamente significativa. É data para se dizer: mulheres, a plenos pulmões, façam ouvir a sua voz e o seu poder!

O Dia das Mulheres emerge como um grito de ordem em favor da dignidade e respeito, contra a opressão no ambiente de trabalho. As origens comuno-socialistas da luta das mulheres por seus direitos não servem de justificativa ou mácula para que todos nós – homens e mulheres – nos solidarizemos à causa e compreendamos a necessidade de avançarmos em prol de maior isonomia e efetiva igualdade e respeito.

A ONU definiu o tema do Dia das Mulheres de 2019 como “Pensemos em Igualdade, Construção com Inteligência e Inovação para a Mudança”. O tema expressa a necessidade de aperfeiçoamento dos sistemas de proteção social, acesso aos serviços públicos e infraestrutura sustentável como contributo à defesa da igualdade de gênero e o empoderamento feminino.

É necessário romper as barreiras estruturais – sociais, políticas, econômicas, morais, etc – possibilitando a inclusão feminina plena, sob uma perspectiva isonômica. Não basta a singela declaração de que “todos são iguais perante a lei”, a verdadeira igualdade – a ser edificada em um conceito concreto – exige o reconhecimento das diferenças, e o tratamento de cada gênero, no caso, de acordo com suas características.

A perspectiva da ONU aborda também a necessidade de propiciar mecanismos de acesso das mulheres à tecnologia, de modo a que possam elas desenvolver e alcançar benefícios próprios e sociais. Neste diapasão, desenvolver-se-á novas lideranças femininas na indústria, empresas emergentes, empreendedoras, mudando o panorama dos negócios, tendo como fato impulsionador a inovação tecnológica.

As mulheres de hoje devem criar, valorizar e atuar nas diversas redes de apoio e empoderamento, valendo-se – agora - das infinitas possibilidades que a tecnologia oferece. Pois é por meio da participação social, a luta pelos direitos, consciência de gênero, busca da isonomia, e independência econômica, que a afirmação haverá de se efetivar cada vez mais.

Tal qual no início da luta, nos movimentos do século passado, a busca pelos direitos femininos continua, e deve ter como traço fundamental – ontem, hoje e sempre – a união. Hoje facilitada pela tecnologia, que espalha ideias na velocidade da luz! Diversas são as iniciativas louváveis que buscam valorizar e incrementar a emancipação feminina, em especial no que tange ao aspecto econômico.

Em Divinópolis, por exemplo, temos o Conselho da Mulher Empreendedora da ACID – Associação Comercial e Industrial de Divinópolis, um fórum permanente de debate e busca de soluções, visando fomentar o empreendedorismo local e o desenvolvimento social através de ações voluntárias e sem fins lucrativos, promovendo a união e fortalecimento, principalmente, da mulher empreendedora.

Quem transforma a si próprio, transforma e realidade a seu redor! O avanço na conquista dos direitos femininos é um ideal a ser louvado e perseguido não apenas pelas mulheres, mas por todos aqueles que compreendem que a afirmação de um direito relativo a outro, representa um avanço de todos! Mulheres: avante!

 

 

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.