A Divindade de Jesus Cristo.

O tema deste artigo é a divindade de Jesus, e foi escolhido porque foi desafiador falar sobre a pessoa de Jesus, um estudo que hoje é tão atual, como há séculos passado, quando já se debatia esta personalidade, seja em forma de homem, ou em forma divina. E se constitui um mistério.

Muitas abordagens poderiam ter sido feitas a partir desse tema, pois estudar a personalidade de Cristo, a qual se ocupa a Cristologia poderia ir por vários vieses como o sociológico, psicológico, filosófico, religiosa tradicional ou não, mas inicialmente, o desenvolvimento desse tema estará ligado a uma base do que é Jesus, com escolas e pensadores, trazendo respostas à luz da Palavra de Deus.

(1Timóteo 1:1). Portanto temos muitas razões para crer na divindade de Jesus, porque Deus nos relevou várias provas abundantes para crer “ Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome” (João 20: 31).

A veracidade sobre a divindade de Jesus é testada e aprovada pelas profecias feitas nas escrituras sagrada há muito tempo atrás. O seu nascimento foi profetizado pelos os profetas  “Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra” Jeremias 23:5. O seu nascimento virginal foi predito pelo Isaías, “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel” (Isaías 7: 14).

Em João 5: 17, Jesus declarou-se filho de Deus:” Meu pai trabalha até agora, e eu também”. No versículo seguinte, o apóstolo declara ser igual a Deus; “Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus”. (João 5 18). Jesus considerava essa relação entre o pai e o filho como sinônimo de sua deidade. Encontramos algo semelhante em João 10: 30- 36. Jesus disse ser um com o pai: ‘Eu e o Pai somos um”.  Jesus declarou-se filho de Deus: “aquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus”
(João 10: 36). Dessa forma fica claro que a declaração “Filho de Deus” é uma afirmação da sua divindade. 

Conhecer a Deus deve nos aproximar, pela fé, desse ser maravilhoso Deus, que por meio Jesus Cristo quer ter uma relação intima e profunda com cada um de nós que mesmo sem entender os acontecimentos crê e busca se aproximar  pelo  Espírito Santo e compreender mais e mais.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.