A necessidade de renovação espiritual.

“[Deus] nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo, que ele derramou abundantemente sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador.” (Tito 3.5b-6) 

Muitas são as práticas populares no fim de ano para tentar garantir um ano novo realmente renovado. Alguns se vestem de branco, outros usam de mandingas ou superstições para “trazer bons fluidos”. Nem é preciso comentar quão inúteis são tais práticas.

Se realmente queremos renovar nossas vidas, seja no início, no meio ou em qualquer época do ano, precisamos nos atentar, primeiramente, para Aquele que, antes de tudo, nos deu a vida. Só o Deus Criador é capaz de dar vida e só Ele é capaz de renová-la. O relato de Gênesis é claro: “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente. (Gênesis 2.7. Grifo meu.). O “sopro do Senhor” é um paralelo à ação do Espírito Santo, que em toda a Bíblia é apresentado como “o vento de Deus”. Este mesmo Espírito é a fonte de toda a renovação. Se quisermos uma restauração do ânimo, da alegria, de propósitos, de sonhos, insano seria buscar em coisas da própria criação, sejam elas materiais (como qualquer objeto) ou espirituais (como anjos). O Espírito Santo de Deus é aquele que sopra sobre nós o renovo genuíno, ainda que pareça estar tudo acabado.

Duas profecias de Isaías ilustram bem esta ação de Deus no seu povo. Isaías 41.17-20 diz: “Os aflitos e necessitados buscam águas, e não as há, e a sua língua se seca de sede; mas eu, o SENHOR, os ouvirei, eu, o Deus de Israel, não os desampararei. Abrirei rios nos altos desnudos e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em açudes de águas e a terra seca, em mananciais. Plantarei no deserto o cedro, a acácia, a murta e a oliveira; conjuntamente, porei no ermo o cipreste, o olmeiro e o buxo, para que todos vejam e saibam, considerem e juntamente entendam que a mão do SENHOR fez isso, e o Santo de Israel o criou.” Desertos são muitas vezes ocasiões com as quais temos que conviver, mas nem no deserto mais seco e mais prolongado estamos desamparados, longe dos olhos do Senhor. A profecia é bem clara: Ele nos ouve nas súplicas! Chegará o momento em que Ele dispensará um comando, e nascerão rios e todo tipo de plantação viçosa no que antes era pura sequidão.

Outra profecia está em Isaías 40.28-31: “Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento. Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.” Cansaço e vigor não são uma questão de idade, mas de renovo. O mais jovem dos jovens, sem Deus, vive sem viver, semeia sem colher. Já o mais velho dos velhos, com Deus, é um instrumento poderoso de vida, onde quer que esteja.

A fonte de renovação certa e contínua é a presença do Espírito de Deus em nossas vidas. Ele dá vida e a renova. E o melhor de tudo: Ele deseja encher nossas vidas com o que há de melhor. Assim, nada como renovar os hábitos neste novo ano e, através da oração e leitura da Palavra de Deus, buscar passar tempo com o Autor da Vida. Ele mesmo já disse: “Eu, Senhor, os ouvirei. Eu, o Deus de Israel, não os desampararei.

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.