Alegria, um mandamento do Senhor!

A alegria não é só uma opção da vida, é uma ordem de Deus para o seu povo. O mandamento da alegria está espalhado em toda a Escritura. Nós podemos dividir a Bíblia em cinco partes: a Lei, os Salmos, os Profetas, os Evangelhos e as Epístolas, mas vemos que o mandamento da alegria está espalhado em toda ela.

 


É uma ordem, e Deus não permitiu que ninguém ficasse de fora. “Alegrar-se perante o Senhor teu Deus”. É você, é toda a sua casa, toda a sua vizinhança, é a nossa cidade, é o nosso país sentindo uma alegria diferente, não a do Carnaval, mas a alegria do Espírito Santo de Deus.

A pessoa que começa a caminhar com o Senhor entende que é possível se alegrar mesmo quando as coisas vão de mal a pior, ela diz: “Não tenho motivo para me alegrar, mas tenho motivo para obedecer ao Senhor; não vou me alegrar pelas circunstâncias que estou vivendo, mas vou me alegrar em obediência ao Senhor”. Paulo e Silas estavam presos num cárcere, acorrentados, as costas marcadas pelas chicotadas e, perto da meia-noite, em vez de ficarem tristes, eles estavam se alegrando.

A Palavra diz: “Está alguém alegre? Cante louvores”. Eles estavam alegres a despeito de tudo e estavam cantando e adorando ao Senhor. Enquanto adoravam o Senhor houve um terremoto, as portas se abriram, as cadeias se romperam. Alegramo-nos não quando as circunstâncias são mudadas, mas quando nos alegramos, as circunstâncias mudam. É uma ordem do Senhor. Salmo 32, o verso 11 diz assim: “Alegrai-vos no Senhor, e regozijai-vos, vós justos; e exultai, todos vós que sois retos de coração”.

Alegrar é uma ordem, regozijar é outra e exultar é outra, então, podemos perceber três degraus nesse versículo: “alegrai-vos, regozijai-vos e exultai”. À medida que manifestamos a alegria do Senhor, essa alegria que independe das circunstâncias, vamos subindo de degrau. O regozijo, a alegria é, muitas vezes, uma paz no coração. É no regozijo que entendemos que todas as coisas estão sob o controle do Senhor. Quando sabemos que Deus está no trono, que Ele nunca está ausente, regozijamos, exultamos, porque podemos contar sempre com Ele todos os dias. O Senhor trabalha em tempo integral. Exultar significa quebrar as barreiras até mesmo das limitações físicas. Então, temos que nos alegrar, depois regozijarmo-nos, e por último, pularmos de alegria.

Veja o que Zacarias, o profeta, diz em seu livro, capítulo 9, verso 9: “Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que vem a ti o teu rei; ele é justo e traz a salvação; ele é humilde e vem montado sobre um jumento, sobre um jumentinho, filho de jumenta”.

Depois dessa profecia houve um período de quatrocentos anos em que não aconteceu revelação alguma a respeito de Jesus. Essa profecia se cumpriu literalmente quatrocentos anos depois: Jesus entrando em Jerusalém, montado em uma jumenta.

Alegre-se muito nele e faça esse texto se tornar realidade em sua vida. O povo de Israel esperou quatrocentos anos para que a profecia se cumprisse e nós não queremos esperar nem um mês, nem uma semana para que as promessas do Senhor se cumpram. Todas as promessas do Senhor têm um fim e um amém. Muitas vezes queremos que a promessa se cumpra imediatamente, mas não é assim. É preciso entender que Deus não existe para cumprir os nossos desejos, as nossas vontades. Temos sonhos e desejos, e isso é legítimo. Porém, temos que entregar a Ele tudo o que ansiamos e aguardar, pois somente o Senhor sabe a hora exata do cumprimento de tudo aquilo que Ele reservou para cada um de nós. Alegre-se e espere em Deus. Não permita, de forma alguma, que você mesmo anule as promessas do Senhor em sua vida, mas lembre-se das promessas dele com alegria. E assim você possa realmente vivenciar as promessas do Senhor!

© 2009-2021. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.