Davi versus Golias

Ômar Souki

Na escola primária, quando escutei a história da derrota de um gigante por um jovem chamado Davi, pensei que era fruto da imaginação: apenas mais um conto de fadas. Os anos se passaram, e—de forma semelhante—há quatro décadas atrás, já estudando para o meu doutorado em comunicação de massa (jornais, rádio e televisão) na Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, deparei-me com algumas pesquisas que também pareciam contos de fada. Diziam que—no futuro—a tecnologia avançaria a tal ponto que o cidadão comum poderia se comunicar com milhares de outras pessoas através de um pequeno aparelho—que na época nem tinha nome (seria algo parecido com um radinho a pilhas).

As pesquisas dos anos 80, do século passado, também mostravam que a mídia de massa exercia tal poder, que chegava a determinar o que as pessoas iriam pensar. Enfim, influenciavam a agenda dos cidadãos (agenda setting). Ao chegar no Brasil pude sentir na própria pele o poder avassalador das novelas e do jornal nacional. De fato, tinham a força de manipular a bel prazer a  cabeça do povo. A Globo era um verdadeiro Golias que subjugava o cidadão comum. Na prática, era impossível ser escutado se não fosse através de suas poderosas antenas de transmissão espalhadas por todo o território nacional. Colocava e tirava presidentes como queria.

Mas, a partir da eleição de 2019, tive a grata satisfação de viver aquilo que as pesquisas previam há 40 anos atrás. A voz do cidadão comum seria escutada através de um pequeno dispositivo—que agora tinha nome: o celular! Finalmente, algo que eu não esperava ver durante a minha vida, aconteceu! Davi derrotou Golias—o celular derrotou a Globo. Dentro dessa nova tecnologia, brotou a mídia social, que dá a cada um a oportunidade de se comunicar com milhares de outros seres pensantes.

A meu ver, há uma expansão extraordinária da mente humana, quando percebemos que a nossa opinião tem valor. Mais, podemos nos libertar da mídia de massa e determinar a nossa própria agenda. Temos voz ativa dentro de um universo virtual que une milhares de seres pensantes; cada um com seu próprio valor pessoal. Foi só depois de 2019 que, de fato, para nós, Davi derrotou Golias. Assim como naquela história do povo de Deus aconteceu algo praticamente impossível, atualmente vivemos algo semelhante. Vivemos o milagre de um elefante sendo abatido por um exame de abelhas.

As abelhas somos cada um de nós que escolhemos novos rumos para a nossa pátria. Fomos nós também que nos mobilizamos para as grandes manifestações do dia 15 de março de 2020. Contra todos os prognósticos (descaso da grande mídia, perigo de contaminação pelo vírus “chinês” e pedido das autoridades para não sairmos às ruas) aconteceu algo maravilhoso: as multidões invadiram as ruas contra os desmandos da câmara, do senado e do supremo tribunal federal.

Eu não sabia que aquele pequeno aparelho ao qual as pesquisas davam tanto valor em 1980, poderia, um dia, fazer milagres. Tornou-se a abelhinha devoradora de elefantes. Na segunda feira após as manifestações liguei o computador para ver o que tinha aparecido na mídia de massa sobre as gigantescas manifestações populares: praticamente nada (nem no Brasil, nem no exterior). Abri o meu pequeno dispositivo de mão (o celular) e aí sim, vi o povo vibrando nas ruas. Jovens de todas as idades mostrando a cara. Sendo valorizados e escutados. Não consegui me conter. Gritei bem alto: fora congresso, fora senado, fora stf—e todo o território brasileiro me escutou. Parece até um sonho: aconteceu o milagre da nossa libertação do jugo da mídia de massa.

Do alto das minhas sete décadas contemplo a aproximação da Terra Prometida, donde jorra leite e mel. Finalmente, fui convencido de que a derrota de Golias por Davi, não é apenas um conto de fadas, mas sim, faz parte da história do povo de Deus!    

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.