Joy e Mel

Depois que passei a conviver com Joy, nosso cãozinho de 10 meses—mistura de poodle com shitzu—e Mel, nossa shitzu de 3 meses, observei,  durante minhas caminhadas matutinas, que em cada quarteirão havia alguém passeando com o seu cãozinho. Percebi também que, em Divinópolis, MG, há clínicas veterinárias e pet shops até mesmo nos bairros mais distantes. Cuidar bem dessas criaturinhas requer trabalho, dedicação e dinheiro, mas é altamente compensador.

Luciana Carvalho, em artigo na revista Exame (Abril, 2013) relatou que “o hospital Albert Einstein, em São Paulo, liberou visitas de bichos a pacientes internados, inclusive em unidades semi-intensivas. O objetivo da permissão é a humanização do tratamento e a interferência positiva que eles exercem na cura”.

Há estudos mostrando que o convívio com animais de estimação favorece o convívio social, fortalece a autoconfiança e o sistema imunológico, diminuindo os níveis de triglicerídeos e de cortisol, assim como da pressão arterial. Nessa relação de seres humanos com animais observou-se um aumento da produção de hormônios como a ocitocina, a prolactina e a serotonina que melhoram o humor e ajudam a combater a ansiedade e a depressão. As pesquisas têm enfatizado os seguintes benefícios de se possuir um animal de estimação:

Longevidade. Sair para passear com o nosso cãozinho nos dá a oportunidade, não só de caminhar, mas também de conversar com outras pessoas que gostam de animais. Já foi provado que tanto o exercício físico quanto o convívio social têm influência positiva na saúde e, consequentemente, no aumento da expectativa de vida.

Felicidade. São muitos os cuidados necessários para manter nosso animal de estimação saudável: alimentação, vacinas, visitas ao veterinário, tosas e asseio em geral. Quando nos dedicamos a essas atividades estimulamos a produção de dopamina que—assim como a serotonina—aumenta a nossa sensação de bem-estar.

Aumento da imunidade. Pessoas expostas a animais de estimação desde cedo (e, felizmente, esse é o meu caso) convive com alérgenos e patógenos estranhos, que sensibilizam o seu sistema imunológico. Isso reduz a possibilidade de desenvolverem vários tipos de alergias.

Diminuem o sentimento de solidão. Esses animaizinhos nos fazem companhia. Por exemplo, enquanto estou escrevendo, Joy fica deitado ao meu lado e Mel, de vez em quando vem ver o que estou fazendo. Da mesma forma, quando saímos para passear, é comum nos encontrarmos com outras pessoas que amam animais. E, com elas, trocamos experiências sobre esse saudável convívio.

 

Quando chegamos em casa, somos recebidos com grande festa. Joy e Mel nos saúdam como se fossemos as pessoas mais importantes do mundo. É uma demonstração espontânea de amor e carinho que nos aquece o coração. Nós nos sentimos amados. Os benefícios dessa convivência superam os trabalhos. Isso não só explica o crescimento das clínicas veterinárias e dos pet shops, mas também o sorriso estampado no rosto daquelas pessoas que encontro pelas manhãs passeando com seu cãozinho de estimação.  

 

 

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.