DEZEMBRO LARANJA. CAMPANHA REFORÇA CUIDADOS CONTRA O CÂNCER DE PELE

O mês de dezembro é dedicado a uma campanha contra o câncer de pele, o mais incidente entre os brasileiros. Apesar de ser diagnosticado em diferentes idades e qualquer tipo de pele, este tipo de tumor é facilmente previnível. Os cuidados são básicos como a exposição adequada ao sol, o uso de protetor solar e a ida ao dermatologista.

 

Este mês será marcado pela campanha Dezembro Laranja, criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Além de conscientizar a população sobre a prevenção ao câncer de pele desde a infância, a iniciativa tem como objetivo alertar sobre os sinais do câncer de pele para diagnóstico e tratamento precoces, aumentando as chances de cura, na grande maioria dos casos.

A Associação Médica Brasileira mais uma vez apoia a ação, que é realizada pela SBD desde 2014, em parceria com instituições públicas e privadas. “A campanha reforça que a melhor forma de evitar a doença é por meio da implementação de medidas fotoprotetoras, bem como as visitas regulares ao médico dermatologista”, destaca o presidente da AMB, Lincoln Ferreira.

Os números da doença no Brasil são alarmantes. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, anualmente, são diagnosticados 180 mil casos novos da doença. Isso significa que um em cada quatro casos novos de câncer no Brasil é de pele. “Temos um problema de saúde pública e a SBD transformou esse problema numa ampla campanha de combate ao câncer da pele. Reduzir as estatísticas de incidência e mortalidade pela doença é uma meta alcançável e a SBD está comprometida com essa causa”, explica Sergio Palma, presidente da Instituição.

"Câncer de pele tem cura com diagnóstico precoce. Mas o câncer de pele avançado pode se espalhar pelo resto corpo. Pode se espalhar para o cérebro, pulmão, fígado, ossos; pode ter casos, às vezes, que há necessidade de amputação de membros. Então, é importante saber que a simples prevenção da exposição solar vai fazer com que a pessoa tenha qualidade de vida adequada e que não tenha comprometimento da saúde", alerto a médica dermatologista Aline Pinheiro, integrante da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Os cânceres de pele, com exceção do melanoma, são mais frequentes na população adulta porque dependem mais da exposição solar.  Portanto, apesar de ser mais comum em adultos, a doença pode afetar recém-nascido, criança, jovem, adulto ou idoso.

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.