SENADO APROVA PROJETO PARA PLANO DE SAÚDE DAR TRATAMENTO DE CÂNCER EM CASA.

 

O Senado aprovou em junho desse ano o projeto de lei 6330/2019 que obriga os planos de saúde a arcarem com os custos de quimioterapia oral em domicílio após o registro dos medicamentos na Anvisa.

O texto, de autoria do senador José Reguffe (Podemos-RJ), prevê que convênios ampliem o acesso, pelos usuários, "aos tratamentos antineoplásicos domiciliares de uso oral".

Atualmente, os planos não arcam com os custos do tratamento domiciliar, quando o medicamento não está registrado na ANS (Agência Nacional de Saúde). Antes do cadastro na Agência Nacional, o remédio precisa de outro registro, na Anvisa. Esse trâmite burocrático atrasa em até 3(três) anos a disponibilidade do tratamento.

"Se um medicamento antineoplásico de via oral já foi aprovado pela Anvisa, não há motivo para o paciente esperar dois anos pela atualização do rol da ANS e, ainda, correr o risco de a medicação não entrar na lista", diz o texto.

"De fato, a quimioterapia oral apresenta inúmeras vantagens: mesma eficácia que a medicação utilizada por via parenteral; maior conforto ao paciente, pois o medicamento é tomado em casa; e menor utilização dos hospitais, o que gera economia. Além disso, o futuro do tratamento oncológico é a sua administração por via oral e, desse modo, novos medicamentos têm surgido com rapidez", completa.

A matéria segue para a Câmara dos Deputados.

Fonte: UOL

raquelhelenaadv@gmail.com

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.