domingo, 10 de Fevereiro de 2019 03:48h Atualizado em 10 de Fevereiro de 2019 às 04:38h. Carlos Henrique Monteiro

Anderson Silva se supera aos 43 anos, e cai de pé para Israel Adesanya

Brasileiro endurece o jogo, mas juventude do Nigeriano leva a melhor no fim das contas

 CARLOS HENRIQUE MONTEIRO

Foi uma atuação de gala. Mesmo perdendo por decisão dos juízes (30-27, 30-27 , 29-28), o brasileiro Anderson Silva mostrou que aos 43 anos, ainda está demonstrando um ótimo potencial dentro do octógono. 

Ele lutou contra o jovem Israel Adesanya, de 29 anos, que é conhecido por ser clone de Anderson Silva, imitando suas características tanto provocativas quanto técnicas de luta, conseguiu fazer um bom combate, equilibrado e fazendo jogo duro para o adversário. 

O primeiro round foi tenso, com muito respeito de lado a lado. Os dois lutadores não estavam querendo partir para cima um do outro. Em determinados momentos, Anderson baixou a guarda, Israel acertou ele algumas vezes. Venceu por pequena margem o primeiro round. 

No segundo, Anderson foi mais ativo no combate, encurralou Israel e em algumas oportunidades o golpeou, e ainda em determinado momento esteve em vantagem. 

No terceiro round, o físico de Anderson fez a diferença, mas mesmo assim ele seguiu segurando o ímpeto de Israel, e em nenhum momento da luta teve próximo de ser nocauteado. Israel acertou alguns golpes muito por Anderson ter baixado a guarda em certas ocasiões. Vitória de Israel no final das contas por decisão unanime dos juízes.

Anderson, na entrevista pós-luta, anunciou que ainda quer lutar em Curitiba, em Maio, na Arena da Baixada. Ao final, gritou ADRIAN, em referencia ao filme Rocky 1, quando Balboa não venceu Apollo Creed, e chamou por sua esposa, que estava na platéia. 

 Esse UFC 234 não foi um evento bom para os brasileiros. 

Além da derrota do Spider no card principal, Marcos Mariano acabou finalizado ainda no primeiro round diante de Lando Vanata. Marcos treina junto com Anderson Silva, e até entrou de short amarelo, imitando seu colega, mas não deu, vitoria de Vanata. 

O americano Ricky Simon, e Rani Yahya brasileiro, proporcionaram um combate excelente de se ver. Simon estava mais agressivo, partindo pra cima, e querendo sempre manter a luta em pé, enquanto Rani, queria levar pro solo, mas Simon em nenhum momento permitiu que isso acontecesse. 

No card preliminar, Rauilan Paiva e Kai Kara France também proporcionaram um combate bom de se ver. E o Australiano, que tomou mais inciativa, venceu por decisão. 

Card Principal

Peso médio: Israel Adesanya derrotou Anderson Silva na decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27, 29-28)

Peso leve: Lando Vannata finalizou Marcos ‘Dhalsim’ Rosa com uma kimura aos 4m55s do R1

Peso galo: Ricky Simon derrotou Rani Yahya na decisão unânime dos juízes (30-27, 30-25, 30-27)

Peso mosca: Montana De La Rosa finalizou Nadia Kassem com uma chave de braço a 2m37s do R2

Peso meio-pesado: Jim Crute derrotou Sam Alvey por nocaute técnico a 2m49s do R1

Card Preliminar

Peso leve: Devonte Smith derrotou Ma Dong Hyun por nocaute técnico a 3m53s do R1

Peso pena: Shane Young derrotou Austin Arnett na decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27, 30-27)

Peso mosca: Kai Kara-France derrotou Raulian Paiva na decisão dividida dos juízes (28-29, 28-29, 29-28)

Peso galo: TKyung Ho Kang finalizou Teruto Ishihara com um mata-leão a 3m59s do R1

Peso leve: Jalin Turner derrotou Callan Potter por nocaute a 53s do R1

Peso galo:Jonathan Martinez derrotou Wuliji Buren na decisão unânime dos juízes (30-27, 29-28, 30-27)

 

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.