Castra Móvel do Bem é realizado em Divinópolis

​Os atendimentos começaram na segunda-feira (08), com uma média de 45 atendimentos diários entre cães e gatos.

Seguindo o exemplo de um projeto que já abrange todo o estado de Minas Gerais, Divinópolis está realizando entre os dias 8 e 12 de janeiro no Parque de Exposições da cidade o Castra Móvel do Bem. Para reduzir a população de animais de rua e diminuir o risco de doenças, o objetivo é castrar cães e gatos abandonados nas ruas ou de pessoas que não tem condições de pagar pelo procedimento.

A coordenadora Simone Crass conta que o Castra Móvel teve origem em Juiz de Fora (MG), há dois anos e meio e hoje abrange todo o estado de Minas Gerais. A ONG AJUDA (Aliança Juizforana pela Defesa dos Animais) foi a fundadora da ideia, em parceria com o, até então vereador, hoje Deputado Estadual Noraldino Júnior, que se empenhou ao máximo e abraçou a causa.

Simone disse também que já foram atendidos pelo projeto, mais de 20 mil animais. Destacou que a equipe trabalha com a meta de óbito 0, que nesses dois anos, nenhum animal veio a falecer.

Pablo Duque de Castro, médico veterinário responsável pelas castrações relatou sobre a responsabilidade e empenho que o projeto trata cada caso.  O veterinário contou como é feita a avaliação dos animais.

“Todos passam por uma triagem para avaliar seu quadro clínico, quando se deve ou não realizar a castração, os benefícios, aumento na expectativa de vida, diminui a superpopulação, o risco de tumores reduzido, infecção uterina, gravidez psicológica, marcação de território, câncer de próstata e a qualidade de vida que os animais passam a usufruir após serem castrados”. No procedimento, Pablo conta a ajuda de 3 estagiários, estudantes de medicina veterinária: Felipe Leão, Isabela Palestrini e Júlia Silva.

Divinópolis

A iniciativa de trazer o projeto a Divinópolis, foi da ONG A4 Mineiro, que é uma associação protetora de animais abandonados na cidade. A Protetora e Coordenadora da ONG, Edimara Martins, expôs as dificuldades enfrentadas diariamente com o grande número de animais que estão pelas ruas.

“Já que a ONG sobrevive apenas de doações, é difícil para conseguir alimentação para os animais em abrigo, e há dificuldade de resgatar mais animais nas ruas, pois gera gastos com veterinários, remédios, vacinas e etc. Daí a ideia de trazer o projeto à Divinópolis, castrando os animais, diminui a procriação, logo, não aumentará o número de animais abandonados.”

Dificuldades

Edimara contou que não foi fácil conseguir com que este evento acontecesse, e tiveram que buscar parceiros e doações para arrecadar os R$6 mil, valor que precisa ser investigo para que o Castra Móvel se desloque com toda a equipe de Juiz de Fora até Divinópolis.

Após conseguir o valor necessário, outro obstáculo apareceu: a busca um local apropriado que não fosse cobrado aluguel. A protetora teve então a ideia e trazer o projeto para o Parque de Exposições. Após entrar em contato com o presidente do Sindicato Rural de Divinópolis, Irajá Nogueira, que logo apoiou a ideia, o espaço necessário foi disponibilizado.

Depois de feitas as inscrições, os atendimentos começaram na segunda-feira (08), com uma média de 45 atendimentos diários entre cães e gatos e se estenderá até na sexta-feira (12) deixando um grande ato de amor e contribuição aos animais de nossa cidade.

 

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.