Confirmada morte por febre amarela em Carmo da Mata

O homem, de 38 anos, morreu no dia 3 de janeiro e o laudo da Fundação Ezequiel Dias (Funed) confirmou a suspeita

Foi confirmada a primeira morte por febre amarela em Carmo da Mata. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura da cidade, um homem de 38 anos foi internado em um hospital em Oliveira, no dia 30 de dezembro, mas morreu no dia 3 de janeiro. A suspeita foi confirmada por um exame enviado à Fundação Ezequiel Dias (Funed) em Belo Horizonte na manhã de hoje (9). Ainda segundo a assessoria de imprensa, o homem tinha residência tanto na área urbana, quanto na zona rural da cidade. Com a confirmação da morte, a Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis (SRS/Divi) e a Secretaria de Estado de Saúde (SES) irão intensificar a vacinação no Município.

O último Boletim Epidemiológico divulgado pela SES, no dia 5 de janeiro, não estava registrada a morte, mas com a confirmação por meio do exame laboratorial, o dado será incluído no próximo levantamento. De acordo com os dados divulgados pela secretaria, no último Boletim Epidemiológico, o número de casos de febre amarela subiu 987% no último ano em Minas Gerais. Em 2016, foram registrados 40 casos de febre amarela no Estado e, no ano passado, o número saltou para 435. Ainda conforme o levantamento, em 2016, foram registrados 26 óbitos da doença, enquanto, em 2017, o número passou para 136, caracterizando um aumento de 423%. Segundo os dados da SES, em 2016, dos 40 casos de febre amarela registrados, 14 foram curados; já em 2017, dos 435 registrados, 299 foram curados.

A Secretaria de Estado de Saúde pediu ainda intensificação da vacinação nos municípios com coberturas abaixo de 95%. “Em especial, atenção aos municípios que fazem parte das Unidades Regionais de Saúde: Belo Horizonte, Barbacena, São João Del Rei, Alfenas, Varginha, Pouso Alegre, Divinópolis, Passos, Juiz de Fora, Ubá, Leopoldina, Uberaba, Uberlândia e Ituiutaba”. O levantamento apontou ainda que a regional de Divinópolis teve uma cobertura vacinal de apenas 84,96%, sendo que mais de 170 mil pessoas não se vacinaram contra a febre amarela. “Diante da ocorrência de surtos ou epizootias (morte de macacos) da doença em determinada região, a intensificação vacinal deverá ser iniciada imediatamente”, solicita. 

© 2009-2018. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.