sexta-feira, 13 de Maio de 2016 13:44h Secretária de Cultura de Minas Gerias

APM lança fac-símile com recorte da história de Santa Luzia

Livreto ‘Comemorações do 1º Centenário da Revolução Liberal e da Ação Pacificadora de Caxias’, feito em parceria com a Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia, é disponibilizado ao público no próximo sábado (14/05)

Firme no propósito de jogar luz sobre materiais que registram acontecimentos que formaram a história de nosso Estado, o Arquivo Público Mineiro (APM) lança, no dia 14 de maio de 2016, às 10h, no Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, um fac-símile do livreto Comemorações do 1º Centenário da Revolução Liberal e da Ação Pacificadora de Caxias.

O APM detém um desses raríssimos exemplares, lançado em 1942, durante a celebração do 1º centenário da Revolução Liberal de 1842. Além de tratar do movimento, como explicita o título, a publicação também se debruça sobre a cidade de Santa Luzia com texto de autoria do pesquisador e médico Edelweiss Teixeira, e se configura como um trabalho historiográfico sobre a cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

 

 

 

O secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, enaltece a relevância da publicação para o conhecimento da história do município mineiro. “O APM conserva o material em perfeito estado, que enseja esta edição fac-similar. Aos luzienses, será grato o acesso ao precioso documento, tornado raridade, no qual se sucedem imagens ilustrativas da evolução da cidade, observações, registros e incontáveis referências a seus filhos, presentes nos mais diferentes momentos e setores da trajetória do Estado e do País.”

A iniciativa é fruto de uma parceria entre o Arquivo Público Mineiro e a Associação Cultural Comunitária de Santa Luzia, com o apoio do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais.

 

 

 

 

Tesouros do Arquivo

Fundamental referência bibliográfica dos processos de tombamento desenvolvidos pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG) na cidade de Santa Luzia, a pesquisa que integra o fac-símile vem como mais título da coleção Tesouros do Arquivo.

Para o superintendente do Arquivo Público Mineiro, Thiago Veloso Vitral, o destaque dado ao material pelo APM é necessário. “A pesquisa de Edelweiss Teixeira integra essa coleção que reafirma o compromisso do APM em democratizar o seu acervo, além de publicizar as obras e pesquisas até então pouco exploradas pela historiografia. O trabalho de Edelweiss Teixeira deixa as gavetas e retorna ao seu devido lugar, nas mãos dos luzienses e dos mineiros”.

 

 

 

Os Tesouros no Arquivo são publicações compostas com documentos recolhidos no APM, contendo compilações sobre determinados assuntos pertinentes à identidade de Minas. São alguns dos títulos da coleção: [São João Del Rei, uma cidade no Império]; Coleção Sumária e as próprias leis, cartas régias, avisos e ordens que se acham nos livros da Secretaria do Governo desta capitania de Minas Gerais, reduzidas por ordem a títulos separados; Teófilo Otoni e a campanha do Mucuri: a modernidade possível; Concentração conservadora de Minas Gerais; Instrução para o governo da capitania de Minas Gerais – José João Teixeira Coelho 1782.

 

 

 

Revolução Liberal e da Ação Pacificadora de Caxias

A Revolução Liberal de 1842 foi um levante dos liberais das províncias de São Paulo e Minas Gerais. O movimento foi oriundo das disputas políticas entre Liberais e Conservadores.

Em Minas Gerais a liderança da revolução ficou nas mãos de Teófilo Otoni, um abolicionista, republicano, herói da Revolução Liberal de 1842 e fundador de Filadélfia, a cidade do Vale do Jequitinhonha e Mucuri que mais tarde ganharia seu nome. As cidades de Santa Luzia, Santa Bárbara, Caeté e Sabará apoiaram os liberais mineiros.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.