quarta-feira, 11 de Maio de 2016 13:08h Secretária de Cultura de Minas Gerias

Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte comemora 25 anos

A Fundação Municipal de Cultura celebra nesta quinta-feira, dia 12 de maio, o aniversário de 25 anos do Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte (APCBH)

Um evento, na sede do Arquivo (Rua Itambé, 227, Floresta), a partir das 17h, irá mostrar as novas instalações e as melhorias estruturais do local, além da realizar de homenagens, descerramento de uma placa comemorativa. Após a solenidade, haverá uma confraternização.

A celebração do aniversário do APCBH teve início em abril, com uma solenidade no Plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte que reuniu diretores do órgão e vereadores para o lançamento de um selo comemorativo e a apresentação dos resultados de uma parceria entre o Arquivo e o Legislativo Municipal. No evento, foram anunciados o cronograma de lançamento das publicações de 2015, entre elas a Cartilha de Educação Patrimonial, a Cartilha do projeto Cestas da Memória, o Catálogo de Fontes sobre Arborização e o Guia de Fundos e Coleções do Arquivo.

 

 

 

O Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte (APCBH) é o órgão responsável pela gestão, guarda, preservação e acesso dos documentos produzidos ou recebidos pelo poder executivo municipal. Criada em 1991, a instituição cuida também de parte do acervo da Câmara Municipal de Belo Horizonte e de documentos privados de interesse da população belo-horizontina. No APCBH encontram-se documentos textuais, revistas, mapas, plantas, projetos arquitetônicos, cartazes, fotografias, filmes, registros sonoros, dentre outros. Em sua sede, há também uma biblioteca voltada para a história da cidade.

O acervo do APCBH é composto por coleções e fundos que apresentam enorme variedade de informações sobre a cidade. Há documentos sobre o processo de criação da capital mineira, fotografias produzidas pela Assessoria de Comunicação da PBH desde 1950, documentos oriundos da antiga Secretaria Municipal da Fazenda (1891-1989) – tais como dívidas públicas, recolhimentos de impostos sobre profissões e pagamentos de serviços ligados às mais diferentes atividades desenvolvidas na cidade –, e um grande acervo de projetos arquitetônicos da cidade de Belo Horizonte.

 

 

 

 

Acesso público

O acervo do Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte é aberto a consultas públicas. Não é necessário agendamento para acessar o acervo disponível na Sala de Consultas do APCBH. É preciso apenas se identificar. Para auxiliar a pesquisa são disponibilizados instrumentos como guia, inventários, catálogos e outros, além de ser possível a pesquisa pela internet O site da instituição traz as coleções de revistas e dos relatórios dos prefeitos, bem como diversas informações sobre o Arquivo Público, suas atividades, eventos, instrumentos de pesquisa e outras publicações. Desde 2011, o APCBH mantém um banco de dados projetado para dar acesso a todo o seu acervo. 

 

 

 

Projetos especiais

Além de guardar documentos essenciais da história de Belo Horizonte, o APCBH é responsável também por ações de difusão cultural. O projeto “Novos Registros - Banco de Teses sobre Belo Horizonte” é uma das principais ações neste sentido, com palestras sobre trabalhos acadêmicos sobre a cidade em diversos campos do conhecimento ou acerca de temas afins à área cultural e à preservação de acervos. Outro projeto desenvolvido é o Cestas da Memória, que, com o apoio de voluntários, ex-funcionários da PBH e técnicos do APCBH, promove o reconhecimento e identificação de fotos e documentos sob custódia do próprio Arquivo.

 

 

Patrimônio reconhecido

Um dos acervos mais importantes sob a guarda do APCBH é o da Comissão Construtora da Nova Capital. A coleção é constituída por um conjunto de documentos textuais, cartográficos e iconográficos gerados a partir das atividades técnicas e das rotinas administrativas da comissão responsável pela concepção, planejamento e construção da capital de Minas Gerais. O acervo data de 1890 até 1903 e foi selecionado pela Unesco, em 2015, para integrar o Programa Memória do Mundo (Memory of the World-MOW), que reúne os principais documentos da história mundial. Com o reconhecimento, eles passam a ter valor de Patrimônio da Humanidade e são inseridos no Registro Internacional de Patrimônio Documental.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.